Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Metade das empresas que realizaram IPO em 2021 tiveram desempenho negativo

Quem foi à bolsa no ano passado se saiu melhor: Locaweb acumula altas de 550% e Méliuz 195%; em 2021 destaques são Vamos e Intelbras, que subiram 30% e 40%

Por Luisa Purchio Atualizado em 1 Maio 2021, 16h07 - Publicado em 30 abr 2021, 12h33

Um levantamento realizado pela Economatica com exclusividade para a VEJA mostra que 50% das 20 empresas que realizaram IPOs este ano até a terça-feira, 27, tiveram suas ações e seu valor de mercado desvalorizados desde o início das suas Ofertas Públicas Iniciais. Como mostrou reportagem publicada na última edição da revista VEJA, o ambiente de incertezas políticas e o risco fiscal do país contribuiu para o mal desempenho das companhias, causou cancelamento de uma série de IPOs e deixou o Ibovespa para trás das demais bolsas mundiais.

De acordo com o levantamento, a empresa cujos papeis mais caíram no período foi a varejista de materiais para casa Westwing, que desvalorizou 31,9% (veja quadro). O seu valor de mercado teve perda de quase meio milhão de reais. Na sequência, vem a prestadora de serviços marítimos Oceanpact, com queda de 29,23% no valor das ações e perda de 645,5 mil reais em valor de mercado. Em terceiro lugar, em maior desvalorização, vem a empresa Focus Energia, especializada em geração, gestão e comercialização de energia. No período, suas ações caíram 21,25% e o valor de mercado teve perda de 343,3 mil reais.

Com exceção dos papeis do Assai, que tiveram alta de 441% após cisão do grupo Pão de Açúcar, a empresa de aluguel de carros Vamos teve a maior alta no período, de 48,6% nas ações e de 2,8 milhões de reais em valor de mercado. Na sequência, vem a empresa de computadores e equipamentos Intelbras, com alta de 38,5% nos ativos e de 1,9 milhões no seu valor de mercado. Em terceiro lugar, está a CSN Mineração, com valorização de 9,7 milhões de reais em valor de mercado e de 20% no valor das ações.

Ano anterior

As empresas que foram para a bolsa de valores em 2020 estão se saindo melhor e, das 28 que abriram IPO, apenas 11 estão com o desempenho negativo desde a oferta inicial de ações. Chama a atenção que, dessas que se saíram mal, seis são do segmento de incorporações, com destaque para a Moura Dubeaux, que acumula queda de 52% no valor dos papéis, a Mitre e a Plano e Plano, que caíram mais 30%.

Entre as maiores altas dos IPOs do ano passado, o setor que mais se destaca é o de programas de benefícios e serviços. A empresa de sites, serviços de internet e de tecnologia na nuvem Locaweb acumula alta de 553,12%, de 14,8 milhões de reais em seu valor de mercado , enquanto a Méliuz, de cupons de descontos e cashback, subiu 195,7% nas ações e 2,5 milhões em valor de mercado. Já os ativos da Neogrid, de gestão automática de supply chain, subiram 55,11%, e da empresa de comércio eletrônico Enjoei tiveram alta de 40,58%.

Continua após a publicidade
Publicidade