Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Juros futuros caem em reação ao ambiente externo

Por Nalu Fernandes

São Paulo – No mercado futuro de juros, as taxas reagiram em baixa à deterioração do humor dos investidores no ambiente externo. Devolução de prêmios foi a tendência predominante em praticamente toda a curva a termo de juros nesta quarta-feira, em meio à escalada da aversão ao risco e na véspera da divulgação do IPCA de março.

Na BM&F, o DI janeiro de 2013 (543.045 contratos) estava em 8,76%, ante 8,86% no ajuste, enquanto o DI janeiro de 2014 (348.460 contratos) marcava 9,39%, de 9,47% na véspera. O DI janeiro de 2017, com giro de 89.460 contratos, apontava 10,67%, de 10,69% ontem, e o DI janeiro de 2021 (6.735 contratos) indicava 11,09%, de 11,09%.

No mercado doméstico, as taxas projetadas pelos DIs recuaram em linha com o declínio dos juros dos títulos do governo norte-americano (Treasuries), em face da piora nos mercados globais. Os investidores interpretaram os comentários do presidente do BCE, Mario Draghi, como cautelosos, diante da observação de que é prematura a discussão sobre retiradas de medidas de estímulo, as chamadas estratégias de saída. A Espanha continua no foco. O leilão de títulos do país vendeu o mínimo pretendido e com elevação da taxa de retorno aos investidores (yields). O PMI composto da zona do euro continua abaixo da marca de 50 pontos, indicando contração da atividade da região.

Em alguns vértices, o volume de contratos negociados começa a ter redução. Se a divulgação do IPCA relativo a março não vier muito diferente das expectativas, a tendência é de que os negócios percam intensidade gradualmente com a aproximação do feriado. Apostas seguem majoritárias para redução da Selic em 0,75 ponto porcentual, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para este mês.

No País, o Índice de Commodities do Banco Central (IC-Br) subiu 2,67% em março na comparação com fevereiro. De acordo com levantamento, o índice passou de 121,35 pontos em fevereiro para 124,59 pontos em março. Noprimeiro trimestre, a alta acumulada é de 0,20%. No mercado internacional, as commodities mostram perdas nesta quarta-feira. Os contratos de ouro fecharam no pior nível em 12 semanas.