Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Inflação acima da meta e dólar em alta são as apostas de economistas para 2015

No último boletim Focus do ano, os analistas projetam alta de 6,53% para o IPCA e de R$ 2,80 para o dólar

No último boletim Focus do ano, os economistas praticamente não mudaram suas projeções para a economia brasileira, ainda enxergando que a inflação vai estourar o teto da meta oficial em 2015 diante de um cenário de dólar mais valorizado.

De acordo com pesquisa divulgada pelo Banco Central nesta segunda-feira, a projeção para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2015 recuou apenas 0,01 ponto porcentual, para 6,53%. A meta é de 4,5%, com margem de dois pontos porcentuais para mais ou menos (2,5% a 6,5%). Para 2014, a expectativa é que o ano se encerre com inflação de 6,38%.

A inflação tem rondado o teto da meta há meses. O IPCA-15, prévia do indicador oficial de inflação, acelerou 0,79% em dezembro e encerrou o ano com alta de 6,46%. O índice cheio do ano só será divulgado no dia 9 de janeiro.

Câmbio – O Focus mostrou também que as perspectivas dos analistas com relação ao dólar voltaram a piorar para 2015. Eles aumentaram de 2,75 reais para 2,80 reais a projeção para a moeda americana no ano que vem. Para 2014, a projeção foi mantida em 2,65 reais.

Leia ainda: Inflação do aluguel fecha 2014 em 3,69% – menor taxa em 5 anos

Prévia da inflação avança em dezembro e tem alta de 6,46% no ano

Inflação e juros – O BC tem argumentado que tanto o câmbio quanto os preços administrados (energia e tarifas públicas) vão continuar pressionando a inflação. A estimativa para os preços administrados em 2015 cresceu, passando de alta de 7,60% para 7,80%. O Banco Central acredita que o índice de preços só vai convergir para o centro da meta no final de 2016.

Em relação à Selic, os especialistas consultados mantiveram a perspectiva de que a taxa básica de juros (atualmente em 11,75%) terminará o próximo ano a 12,50%.

Economia – Os economistas consultados na pesquisa do BC aumentaram um pouco a projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014 a 0,14%, contra 0,13% no levantamento anterior. Para 2015 a estimativa de expansão permaneceu em 0,55%.

A economia brasileira iniciou o quarto trimestre em queda depois de ter saído da recessão técnica, apontou o Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br) do próprio BC ao recuar 0,26% em outubro sobre o mês anterior.

A projeção para a balança comercial em 2014 foi piorada pela terceira vez seguida na pesquisa Focus, para déficit de 2 bilhões de dólares, contra resultado negativo de 1,86 bilhão de dólares na semana anterior.

(Com agência Reuters)