Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Greve de professores afeta 32 escolas particulares de SP; veja lista

Os colégios Anglo21, Equipe, Oswald de Andrade, Santa Clara, Vera Cruz foram algumas das escolas atingidas pela paralisação

Cerca de 3.000 professores de escolas particulares paralisaram suas atividades nesta quarta-feira. Ao todo, a greve está afetando o funcionamento de 32 colégios da cidade de São Paulo, segundo o Sindicato dos Professores de São Paulo (Sinpro-SP). A paralisação é contra a proposta patronal de retirar direitos da categoria após a entrada em vigor da reforma trabalhista em novembro do ano passado.

Os colégios Anglo21, Equipe, Oswald de Andrade, Santa Clara, Vera Cruz foram algumas das escolas afetadas com a greve. De acordo com o Sinpro-SP, professores realizaram manifestação em frente aos colégios Bandeirantes, Móbile e Alberto Einstein – mas não ocorreu a paralisação das aulas nestes locais.

Confira lista do Sinpro-SP com as escolas afetadas pela greve:

Colégios
Alecrim
Alef Peretz/Renascença
Anglo21
Anima
Arraial das Cores
Beatíssima
Equipe
Escola da Vila
Estilo de Aprender
Giordano Bruno
Gracinha
Grão de Chão
Hugo Sarmento
Invenções
Lumiar
Madre Alix
Ofélia Fonseca
Oswald de Andrade
Pasteur (unidade Vergueiro)
Politeia
Ponto de Partida
Recreio
Santa Clara
Santa Cruz
Santa Maria (apenas ensino médio)
Santi
São Domingos
Teia de Aprendiz
Teia Multicultural
Vera Cruz
Viva
Viver

A nova legislação trabalhista prevê mudanças na manutenção da bolsa de estudos integral para filhos dos docentes, no recesso de trinta dias, na garantia semestral de salário e na unificação das férias, impedindo que elas sejam parceladas.

Os professores se reúnem para nova assembleia às 14 horas desta quarta-feira. Na conversa, os docentes vão decidir se entrarão em greve por tempo indeterminado a partir do dia 28. Em seguida, devem realizar um ato público no vão livre do Masp, na região central da capital paulista.

No Estado de São Paulo são cerca de 112.000 professores, distribuídos em mais de 7.000 escolas, de acordo com dados do Ministério do Trabalho.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. A lista são das melhores escolas de SP. Não à toa, todas têm quadro de professores conscientes de seus direitos. Eu apoio.

    Curtir