Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Grécia quer prazo extra para cortar gastos públicos

Primeiro-ministro Antonis Samaras pedirá a revisão do plano de austeridade, com extensão de dois para quatro anos para implantar medidas

O primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, pedirá a revisão do plano de austeridade imposto à Grécia pela União Europeia e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) em seu próximo encontro com a chanceler alemã, Angela Merkel, e com o presidente francês, François Hollande, revela a edição desta quarta-feira do jornal britânico Financial Times. A reunião está marcada para a próxima semana.

Leia também:

Economia da zona do euro entra de novo em recessão

PIB da Grécia desaba 6,2% no 2º trimestre

Samaras planeja sugerir que os cortes com o gasto público ocorram ao longo de um período de quatro anos e não de dois, de acordo com um documento ao qual o jornal teve acesso. O prazo, dessa forma, seria extendido de 2014 para 2016. O governo grego tenta fechar um impopular pacote de cortes de gastos totalizando 11,5 bilhões de euros em 2013 e 2014, como exigem os credores do país em troca de ajuda.

A Grécia colocou nesta terça-feira 4,063 bilhões de euros em bônus do Tesouro a três meses, pelos quais pagará 4,43%, contra os 4,28% da emissão anterior. A demanda foi fraca, o que revela o pouco entusiasmo dos mercados. O objetivo da transação é permitir que Atenas honre uma parcela de 3,2 bilhões de euros com o Banco Central Europeu, no próximo dia 20 de agosto.

União Europeia e FMI decidirão em setembro se entregam ou não à Grécia mais 31,5 bilhões de euros, como parte do segundo plano de ajuda ao país para evitar o “calote”.

(Com agência France-Presse)