Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Governo registra o maior déficit para o mês de fevereiro desde 1997

O resultado apurado pelo Teosuro, de R$ 6,412 bilhões é também o pior dado mensal desde setembro de 2009, quando as contas do governo central apresentaram déficit de R$ 7,813 bilhões

Por Da Redação 27 mar 2013, 17h29

Ainda sem o Orçamento deste ano, que aguarda sanção da presidente Dilma Rousseff, e a queda de 34% na arrecadação de fevereiro, as contas do Governo Central (Tesouro Nacional, INSS e Banco Central) fecharam no vermelho no segundo mês do ano e registraram um déficit primário de 6,412 bilhões de reais. Esse é o pior resultado desde setembro de 2009, quando as contas do governo central apresentaram déficit de 7,813 bilhões de reais, e é também o pior resultado para meses de fevereiro da série do Tesouro, que começou em 1997.

Em janeiro, houve superávit recorde de 26,19 bilhões de reais, enquanto no segundo mês do ano passado, o governo central registrou superávit de 5,38 bilhões de reais. No acumulado até fevereiro, o resultado ficou 6,4 bilhões de reais abaixo do verificado no mesmo período do ano passado e equivale a 2,67% do PIB, enquanto em 2012 estava em 3,87%.

Segundo dados do Tesouro, as receitas do Governo Central cresceram 7,4% no primeiro bimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2013, para 76,289 bilhões de reais. Em relação a janeiro, as receitas de fevereiro do Governo Central caíram 34,9%. Já as despesas apresentaram um crescimento de 13,9% no primeiro bimestre (para 61,551 bilhões de reais) e uma queda em fevereiro de 18,4% em relação a janeiro.

Leia mais:

Superávit primário do Governo Central é de R$ 88,5 bi em 2012

PAC – As despesas com investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) alcançaram 7,6 bilhões de reais até fevereiro. Os dados do Tesouro mostram um aumento de 73,5% em relação ao primeiro bimestre do ano passado. Essas despesas podem ser abatidas da meta fiscal. As despesas totais com investimentos somaram 12,3 bilhões de reais no primeiro bimestre, com alta de 28,7% sobre o mesmo período de 2012.

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade