Clique e assine a partir de 9,90/mês

Governo indica especialista em TI para vaga no conselho da Petrobras

O professor Nivio Ziviani já publicou diversos livros sobre algorítimos e fundou empresas de tecnologia

Por Da redação - Atualizado em 22 jan 2019, 16h22 - Publicado em 22 jan 2019, 09h21

O governo federal indicou o professor Nivio Ziviani para assumir uma vaga no conselho de administração da Petrobras. O especialista na área de tecnologia da informação deve assumir o lugar do geólogo John Forman, que abdicou da vaga no colegiado por já ter sido condenado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

No comunicado, a Petrobras afirma que a indicação do professor será submetida aos procedimentos internos de governança corporativa, “incluindo análises de conformidade e integridade necessárias ao processo sucessório da Petrobras, que envolvem apreciação pelo Comitê de Indicação, Remuneração e Sucessão do Conselho de Administração, pelo Conselho de Administração e, posteriormente pela Assembleia Geral de Acionistas”.

O Professor Ziviani é graduado em engenharia mecânica pela UFMG, com mestrado em informática pela PUC-RJ e Ph.D. em Computer Science pela Universidade de Waterloo, Canadá. É um especialista em tecnologia da informação, sendo destacado acadêmico e empreendedor.

Publicou vários livros sobre algoritmos e mais de 120 artigos em periódicos acadêmicos e conferências. Foi professor titular do Departamento de Ciência da Computação da UFMG, sendo professor emérito desde 2005 e membro titular da Academia Brasileira de Ciências desde 2007. Recebeu, ao longo de sua carreira, vários prêmios e honrarias, entre elas a Ordem Nacional do Mérito Científico, nas classes de Comendador (2007) e Grã Cruz (2018).

Continua após a publicidade

Como empreendedor, fundou várias empresas, como Kunumi, Neemu, Akwan Information Technologies e Miner Technology Group. O Professor Ziviani é também cocriador da máquina de busca TodoBR.

“A indicação do professor Ziviani para o Conselho de Administração da Petrobras é consistente com a ênfase dada à tecnologia da informação no processo de mudança transformacional para a maximização da geração de valor para os acionistas e o Brasil”, afirmou a companhia.

O governo Bolsonaro já havia indicado o economista João Cox e o almirante da Marinha Eduardo Bacellar Leal Ferreira para o conselho. O almirante, inclusive, deve presidir o colegiado. 

Por ser controlador e acionista maioritário, o governo federal tem direito a indicar oito dos onze membros do conselho de administração da petroleira. As outras três vagas são indicadas por acionistas menores.

Continua após a publicidade

 

Publicidade