Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Gol nega negociação com a Qatar Airways

Rumor sobre negócio com companhia do Oriente Médio fez as ações da companhia brasileira apresentarem valorização na Bovespa nesta segunda-feira

Por Da Redação 10 set 2012, 12h16

As ações preferenciais da Gol chegaram a subir quase 12% no início dos negócios nesta segunda-feira com a notícia de que representantes da empresa teriam mantido conversas na semana passada para associação com a Qatar Airways.

Ainda nesta manhã, a Gol divulgou nota em nega que esteja negociando com a Qatar Airways. Após a declaração da companhia aérea, os papéis devolviam parte dos ganhos, exibindo valorização de 6,08%, para 9,95 reais, às 12h35. O Ibovespa subia 1,21%.

A empresa brasileira explicou que mantém com a aérea do Oriente Médio um acordo de code-share (compartilhamento de voos) desde janeiro de 2011, “permitindo adicionar o código da Qatar Airways (QR) aos voos oferecidos pela Gol com origem em São Paulo para 48 destinos brasileiros”.

Mais recentemente, frisou o comunicado, as empresas anunciaram nova parceria para participantes do Smiles, da Gol, e do Privilege Club, da companhia do Oriente Médio, acumularem milhas em todos os voos operados por ambas.

Na última sexta-feira, a coluna Radar On-line, da revista Veja, publicou que há especulações de que a Qatar estaria interessada na companhia aérea da família Constantino.

Radar On-line: Início de namoro

Em razão dessa notícia, o Citibank elevou sua recomendação para os papéis da Gol de neutra/alto risco para compra/alto risco. A instituição também elevou o preço-alvo dos American Depositary Receipts (ADRs) – recibos de ações da companhia negociados na bolsa de valores de Nova York – de 4,75 dólares para 10 dólares, para os próximos 12 meses.

Continua após a publicidade

A companhia aérea atravessa período de redução de custos para melhorar sua lucratividade em meio à desaceleração do crescimento do tráfego aéreo do mercado brasileiro.

Leia mais:

Standard & Poor’s rebaixa rating da Gol Linhas Aéreas

Gol tem prejuízo de R$ 715,1 milhões no 2º trimestre

(com Agência Estado e Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade