Clique e assine a partir de 8,90/mês

Galvão Engenharia vence leilão de concessão da BR-153

Com deságio de quase 46% na tarifa do pedágio, empresa terá de investir R$ 4,3 bilhões na duplicação e melhorias da rodovia que passa por 23 cidades em Tocantins e Goiás

Por Da Redação - 23 Maio 2014, 10h23

A Galvão Engenharia venceu o leilão da BR-163 entre Tocantins e Goiás nesta sexta-feira, ao oferecer um deságio de 45,99% na tarifa de pedágio de 9,22 reais para cada 100 quilômetros – a empresa vai pagar 4,979 reais o trecho. Nos leilões anteriores, o desconto variou de 42,28% a 61,31%. Concorreram também no pleito a Triunfo Participações e o Consórcio Norte-Sul, formado por Ecorodovias, Queiroz Galvão Desenvolvimento de Negócios e Coimex Empreendimentos e Participações. A disputa foi realizada em São Paulo, na BM&FBovespa.

Esse é o primeiro leilão de rodovias do ano, e faz parte do programa de investimentos em logística anunciado pela presidente Dilma Rousseff em 2012. O trecho possui 628,8 quilômetros e passa por 23 cidades, entre Anápolis (GO) e Aliança do Tocantins (TO). Os investimentos necessários são estimados em 4,31 bilhões de reais.

Leia mais:

Três grupos enviam proposta para leilão da BR-153

Pela primeira vez, BID financiará projetos brasileiros de infraestrutura em real

Dilma assina concessão de rodovias e ataca ‘pessimistas’

Continua após a publicidade

Segundo o edital da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a concessão consiste na exploração, por 30 anos, da infraestrutura e da prestação do serviço público de recuperação, conservação, manutenção, operação, implantação de melhorias e ampliação de capacidade de trecho rodoviário.

O sistema contará com nove praças de pedágio, mas a cobrança só poderá ser feita após a conclusão dos trabalhos iniciais e a execução de 10% das obras de duplicação. O prazo para que o trecho seja totalmente duplicado é de cinco anos.

Os leilões de rodovias são parte do plano do governo Dilma Rousseff de melhorar a infraestrutura logística do país, um dos principais entraves para o crescimento econômico. A iniciativa também inclui a concessão de aeroportos, ferrovias e portos.

No ano passado, o governo licitou um trecho da BR-040, que corta o Distrito Federal e os Estados de Goiás e Minas Gerais; um pedaço da BR-163 no Mato Grosso do Sul; a rodovia que liga Brasília e Betim (MG), com trechos das BRs 060, 153, 262; o trecho da BR-163 em Mato Grosso; e parte da BR-050 entre Goiás e Minas Gerais. O governo até tentou leiloar o trecho da BR-262, que liga a BR-101 no município de Viana (ES) até a BR-381 em João Monlevade (MG), em setembro, mas não houve interessados.

Leia ainda: Com BR-040, governo faz último leilão de rodovias do ano

TCU diz que não é culpado por paralisações de obras rodoviárias

Mapa das privatizações de rodovias, portos e aeroportos em 2013

Continua após a publicidade
Publicidade