Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Fundo soberano da China terá aumento de US$ 50 bi

PEQUIM (Reuters) – O China Investment Corp., fundo soberano de 410 bilhões de dólares da China, deve receber um financiamento adicional de até 50 bilhões de dólares, disseram duas fontes, em uma medida que poderia ajudá-lo a agir rápido para comprar ativos no exterior, especialmente na Europa.

O novo financiamento vem junto com um acordo entre agências do governo chinês para dar ao CIC novo capital para gerenciar a cada ano, disseram à Reuters fontes com conhecimento direto do assunto nesta sexta-feira.

As fontes pediram para não serem identificadas por causa da sensibilidade que existe em torno do gerenciamento das reservas internacionais chinesas.

Segundo elas, o acordo estabelecerá uma estrutura de longo prazo na qual o CIC receberá capital das reservas internacionais chinesas para gerenciar. Também será definido o futuro de seu braço doméstico de investimento, o Central Huijin Investment.

“O plano final para injeção de capital será revelado em breve e pode ser de 50 bilhões de dólares”, disse uma das fontes.

Autoridades do CIC não quiseram comentar.

A injeção de capital aconteceria após planos – noticiados pela Reuters no começo do mês – de criar um novo veículo de 300 bilhões de dólares, afiliado à State Administration of Foreign Exchange (SAFE) da China, que é a parte do banco central encarregada da administração diária dos 3,2 trilhões de dólares em reservas cambiais chinesas.

Os novos fundos para o CIC, assim como o veículo de 300 bilhões de dólares sob a SAFE, estavam planejados bem antes da crise de dívida da zona do euro, que gerou especulação internacional sobre possíveis contribuições da China para um esforço de resgate a países europeus.

Mas o financiamento adicional daria ao CIC poder para compras em um momento em que ativos atraentes da Europa e dos EUA podem ser postos à venda. O CIC opera com independência em relação ao BC e disse em março que investira todo seu capital e gostaria que o governo lhe desse mais.

(Reportagem da redação de Pequim)