Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Fed: 61% dos investidores esperam redução dos estímulos

Segundo pesquisa, maior parte dos investidores acredita que política de estímulos perdeu utilidade

Por Da Redação 17 set 2013, 19h03

O Comitê de Política Monetária do Federal Reserve (Fomc) dos Estados Unidos deu início nesta terça-feira a uma reunião de dois dias em Washington, esperada com ansiedade pelos mercados financeiros, que querem saber se haverá mudanças na política monetária. Segundo uma pesquisa do instituto Potomac Research Group, 61% dos investidores ouvidos esperam que o banco central americano comece a reduzir os aportes mensais de 85 bilhões de dólares que são feitos na economia por meio de compra de títulos.

Dentre eles, 63% acreditam que a compra de 85 bilhões de dólares mensais de títulos do Tesouro e títulos hipotecários “perdeu um pouco de sua utilidade”. Em maio, o presidente do Fed, Ben Bernanke, anunciou que a instituição esperava diminuir progressivamente suas compras de ativos em função da saúde da economia, para retirá-los totalmente em meados de 2014, quando o desemprego cairia a 7%.

Leia também:

BC reforça artilharia cambial em semana decisiva para o Fed

Fed se tornou um grande hedge fund, diz Nobel da Economia

O Fomc publicará também na quarta-feira uma revisão de suas projeções econômicas para a economia norte-americana.

Continua após a publicidade

A reunião ganha ainda mais destaque devido à turbulenta e aguardada decisão de quem será o substituto de Bernanke no órgão. O atual presidente deixará o cargo em janeiro e, ao que tudo indica, deverá ser substituído por sua vice no Fed, Janet Yellen. Até o último domingo, o favorito para o posto era Larry Summers, ex-secretário do Tesouro dos EUA. Contudo, devido à enorme rejeição de políticos e economistas à sua candidatura, Summers renunciou.

Em projeção anual, o PIB dos EUA cresceu 2,5% no segundo trimestre.

Leia também:

Bernanke está de saída do Fed; saiba como isso afeta o Brasil

Yellen agora é favorita à chefia do Fed; confira outros também cotados

(Com Agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade