Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Expectativa de votar reforma da Previdência em 2018 faz bolsa disparar

O Ibovespa, principal indicador de ações da bolsa paulista, subiu mais de 3%, aos 86.885 pontos - o recorde histórico é de 88.400 pontos

Por Redação Atualizado em 30 out 2018, 17h46 - Publicado em 30 out 2018, 16h07

O Ibovespa, principal indicador de ações da bolsa paulista, subiu 3,69%, aos 86.885 pontos nesta terça-feira. Essa é a maior pontuação de fechamento já registrada desde março, quando o indicador atingiu 86.900 pontos. A alta foi impulsionada pelo otimismo gerado com as declarações do presidente eleito, Jair Bolsonaro, e seu futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes, sobre a reforma da Previdência.

Bolsonaro disse ontem em entrevistas de TV que pretende aprovar uma parte da reforma de Michel Temer, que já começou a tramitar no Congresso, ainda neste ano. “Na semana que vem, estaremos em Brasília para um encontro com Temer. Se der para aprovar alguma coisa da reforma da Previdência, o todo ou parte, evitaria um problema para o futuro governo”, disse Bolsonaro em entrevista para a TV Record.

Paulo Guedes defendeu a aprovação dessa reforma em 2018 e uma nova, inspirada no modelo chileno, no futuro. O novo sistema será baseado no regime de capitalização, em que cada trabalhador contribui para sua própria aposentadoria.

O diretor de operações da Mirae Asset, Pablo Spyer, disse que as duas declarações deixaram o mercado otimista. “A bolsa sobe com otimismo dos investidores sobre as falas de Bolsonaro e equipe sobre a reforma da Previdência. Se for feita alguma reforma neste ano, o mercado vai adorar.”

Na contramão da euforia do mercado de ações está o dólar, que caiu 0,4%, a 3,69 reais, influenciado pelas questões externas. Spyer afirma que a alta do dólar está atrelada à piora do cenário externo, ampliando a aversão ao risco. “O dólar se fortaleceu lá fora.”

Continua após a publicidade

Publicidade