Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA iniciam semana decisiva para economia

Senado e Câmara retomam batalha crucial para votar texto do orçamento e teto da dívida, enquanto governo está parcialmente paralisado

Há seis dias com atividades parcialmente paralisadas, os Estados Unidos entram em mais uma semana de discussões sobre o Orçamento e o teto de dívida do país. Democratas e republicanos têm até o dia 17 de outubro para entrar em um acordo sobre o nível de endividamento do país. Se não aumentarem o teto da dívida, a maior economia do mundo poderá anunciar um calote no pagamento de algumas dívidas por não ter recursos suficientes para arcar com seus custos.

As discussões não avançam porque a Câmara, cuja maioria é republicana, e o Senado, onde a maioria é democrata, não conseguem chegar a um consenso sobre o projeto de orçamento para o novo ano fiscal que começou em 1º de agosto e que inclui temas polêmicos como a reforma do sistema de saúde americano (Obamacare) e o teto da dívida pública. Enquanto o Senado defende o início imediato do Obamacare e a aprovação do aumento do endividamento do país, para evitar o calote, os republicanos são contrários aos dois pontos.

Leia mais:

Bancos adotam medidas preventivas em caso de calote dos EUA

Paralisação faz EUA adiarem acordo comercial com a UE

Em entrevistas no domingo, democratas e republicanos não deram sinal de acordo. “Estou disposto a sentar e conversar com o presidente”, disse o presidente da Câmara dos Deputados, John Boehner, em programa do canal televisivo ABC. Mas, acrescentou que a recusa do presidente em negociar “está colocando o país em risco.”

Ao canal CNN, o secretário do Tesouro, Jack Lew, disse: “O Congresso está brincando com fogo”, acrescentando que Obama não negociará até que o “Congresso faça o seu trabalho” encerrando a paralisação e elevando o teto da dívida.

O último grande impasse sobre o teto da dívida, em agosto de 2011, acabou com um acordo de última hora diante da pressão dos mercados e de advertências catastróficas para a economia. Uma solução de último minuto também parece ser a possibilidade neste caso.

Leia também:

Para secretário de Tesouro, Congresso dos EUA “brinca com fogo” sobre crise da dívida

Câmara dos EUA aprova pagamento retroativo a servidores suspensos

O senador Harry Reid, líder democrata do Senado, deve decidir em breve se abre negociações sobre um projeto sem emendas para elevar o limite da dívida. Para aprovar tal medida seriam necessários pelo menos os votos de seis dos 46 senadores republicanos.

Desde terça-feira passada o governo americano precisou reduzir drasticamente seus gastos porque o texto do Orçamento não foi votado a tempo. Assim, diversos pontos turísticos no país estão fechados, enquanto milhares de funcionários públicos estão trabalhando sem saber se receberão seus salários.

(com agência Reuters)