Clique e assine com até 92% de desconto

EUA e Alemanha anunciam coordenação internacional para apoiar Europa

Ministro da finanças alemão e secretário do Tesouro americano disseram que vão fazer esforço para conseguir a estabilização da economia europeia

Por Da Redação 30 jul 2012, 15h53

O ministro de Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, e o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, anunciaram nesta segunda-feira que irão cooperar para a estabilização da economia da zona do euro. Os dois ministros insistiram na necessidade de aplicação das reformas estipuladas na União Europeia (UE), em comunicado conjunto, após o encontro que mantiveram na ilha de Sylt (Alemanha).

Schäuble e Geithner pediram esforços conjuntos, em escala europeia e internacional, para conseguir a estabilização da economia europeia. O encontro foi qualificado como uma ‘reunião informal de trabalho’.

Ambos ratificaram sua confiança nos ‘consideráveis’ esforços que estão fazendo tanto a Espanha como a Itália, com seus respectivos programas de reformas, e se comprometeram a seguir trabalhando para conseguir a estabilização da economia global.

Leia também:

Espanha não pedirá ajuda ao fundo de resgate europeu

Após o encontro com Schäuble, Geither viajou para Frankfurt para encontrar o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi. O BCE, que se reúne na próxima quinta-feira para tratar da política monetária da zona do euro, confirmou o encontro, mas não quis dar mais informação a respeito.

Continua após a publicidade

Em declaração a um jornal alemão, o primeiro-ministro de Luxemburgo e presidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, responsabilizou a Alemanha por parte do agravamento da crise e disse que alguns de seus políticos tratam a zona do euro como ‘uma filial’.

A maior parte dos analistas não acredita que o BCE volte a cortar sua taxa de juros principal – que está atualmente em 0,75%, – mas, espera que Draghi confirme a disposição da entidade monetária de comprar dívida soberana ou executar outras medidas para apoiar a zona do euro.

O BCE informou nesta segunda que não comprou dívida dos países da zona do euro semana passada, pelo menos não nos dias anteriores às declarações do presidente da entidade, Mario Draghi.

Leia mais:

Alemanha e França farão esforço para manter Grécia no euro

(Com Agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade