Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Empresas argentinas demitem funcionários em massa

Pesquisa da consultoria Mercer apontou que 33% das 165 companhias instaladas no país estão cortando mão-de-obra devido à crise econômica

Pesquisa realizada pela consultoria Mercer revelou que das 165 principais empresas instaladas na Argentina, 33% estão demitindo funcionários, 24% cortaram horas extras e 18% lançaram planos de aposentadorias antecipadas. Assoladas pela crise econômica, as empresas apontaram a falta de trabalho e a baixa lucratividade como motivos para os desligamentos. “Neste cenário de estagflação, se a economia não cresce, as vendas e a receita das empresas tampouco cresce, e neste contexto, reconsideram a mão de obra”.

Leia também:

Argentina aprova lei que aumenta controle do Estado sobre empresas

Em meio a calote, Argentina eleva em 31% o salário mínimo

Déficit financeiro da Argentina sobe 291%

Outra pesquisa realizada pela SEL Consultores apontou que os empresários argentinos acreditam que a crise econômica continuará, sendo que 17% deles pretendem demitir funcionários no ano que vem. Relatório do Banco Mundial também mostrou o enfraquecimento do clima de negócios e do mercado trabalhista poderiam levar 40% da população do país latino-americano à pobreza. Já o vice-ministro da Economia, Emmanuel Alvarez Agis, isentou o governo Cristina Kirchner ao dizer que o enfraquecimento da economia na Argentina é reflexo da conjuntura internacional.

(Com Estadão Conteúdo)