Clique e assine a partir de 9,90/mês

Em NY, índices de ações recuam com iminente rebaixamento

Por Da Redação - 13 jan 2012, 18h37

Por Gustavo Nicoletta

Nova York – Os principais índices do mercado de ações dos Estados Unidos fecharam em baixa, diante dos resultados decepcionantes divulgados pelo JPMorgan Chase e em meio a expectativas de que a agência de classificação de risco Standard & Poor’s rebaixará os ratings de vários países da zona do euro depois de a França confirmar que sua nota será reduzida de AAA para AA+.

“É uma questão de sentimento. O rebaixamento era esperado por todos, então o mercado não está reagindo a isso de verdade. A pergunta é: o rebaixamento indica que haverá mais más notícias?”, disse Michael Yoshikami, executivo-chefe e estrategista-chefe de investimentos da YCMNET Advisors. “Há muitos problemas no mundo e a viagem deve ser difícil. Não podemos ignorar o dia de hoje, porque é isso que veremos ao longo do ano”, acrescentou.

Outro fator que pesou sobre as bolsas foi a suspensão das negociações para reduzir à metade uma dívida de 206 bilhões de euros da Grécia detida por credores do setor privado por meio de uma troca de bônus. Fontes próximas ao assunto direção que as conversas travaram após a Alemanha e outros países europeus sugerirem que os novos títulos paguem um juro nominal inferior ao que havia sido proposto, que ia de 4% a 5%. Autoridades gregas disseram que as negociações serão retomadas na quarta-feira.

O Dow Jones caiu 48,96 pontos, ou 0,39%, para 12.422,06 pontos. O Nasdaq recuou 14,03 pontos, ou 0,51%, para 2.710,67 pontos, enquanto o S&P 500 teve declínio de 6,41 pontos, ou 0,49%, para 1.289,09 pontos. Na semana, no entanto, os índices acumularam alta. O Nasdaq subiu 1,36%, o S&P 500 avançou 0,88% e o Dow Jones teve ganho de 0,50%.

Entre os destaques da sessão, o JPMorgan caiu 2,52% depois de divulgar que seu lucro do quarto trimestre encolheu 23% na comparação com igual período de 2010, para US$ 3,73 bilhões, ou o equivalente a US$ 0,90 por ação – em linha com as expectativas do mercado. A receita, no entanto, diminuiu 17%, para US$ 22,2 bilhões, número levemente inferior ao esperado por analistas, que previam um faturamento de US$ 23 bilhões.

As ações do Bank of America fecharam em baixa de 2,65% depois de o Wall Street Journal divulgar que o banco pretende diminuir suas operações no país se continuar passando por dificuldades financeiras.

Entre os indicadores divulgados hoje, o Departamento do Comércio dos EUA anunciou que o déficit comercial do país em novembro aumentou pela primeira vez em cinco meses, para US$ 47,5 bilhões, por causa de um declínio nas exportações para a zona do euro. Já o índice de confiança do consumidor norte-americano medido pela Universidade de Michigan subiu para 74,0 em janeiro, em leitura preliminar – maior nível em oito meses. As informações são da Dow Jones.

Continua após a publicidade
Publicidade