Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em NY, bolsas sobem à espera de reunião da cúpula da UE

Por Gustavo Nicoletta

Nova York – Os principais índices do mercado de ações dos Estados Unidos fecharam em leve alta, em sua maioria, refletindo o otimismo cauteloso do mercado em relação à possibilidade de as autoridades da União Europeia apresentarem um plano confiável para lidar com a crise de confiança nas dívidas soberanas da região na próxima sexta-feira, após uma reunião de cúpula.

O Dow Jones subiu 46,24 pontos, ou 0,38%, para 12.196,37 pontos. O S&P 500 avançou 2,54 pontos, ou 0,20%, para 1.261,01 pontos. O Nasdaq foi a exceção, caindo 0,35 ponto, ou 0,01%, para 2.649,21 pontos.

Hoje as notícias da zona do euro dominaram novamente a atenção dos investidores. A sessão começou em um tom negativo depois de uma autoridade do governo alemão afirmar que a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) e o Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM, cuja introdução foi antecipada de 2013 para 2012, não vão operar simultaneamente, contrariando relatos divulgados pela imprensa.

Pouco mais de uma hora antes do encerramento das bolsas dos EUA, a agência de classificação de risco Standard & Poor’s anunciou que colocou em revisão para potencial rebaixamento a nota de crédito AAA da União Europeia e os ratings de uma série de bancos da zona do euro. As bolsas reagiram mal à notícia, mas posteriormente devolveram as perdas e passaram a subir por causa de um rumor de que as 20 maiores economias do mundo (G-20) estudavam criar um programa de empréstimos para o Fundo Monetário Internacional (FMI). O rumor foi negado pelo FMI.

“Esse é um mercado muito difícil de se operar numa base diária. Nos últimos 10 dias, vimos um rali dramático, mas não tivemos mudanças reais em termos de notícias”, disse Evan Bauman, gerente de carteiras de investimento de dois fundos mútuos da ClearBridge, que somam US$ 13,5 bilhões em ativos.

Além da reunião de cúpula da União Europeia, também está no foco do mercado o anúncio da decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), previsto para amanhã. Boa parte dos investidores espera um corte na taxa de juros.

Para Keith Springer, presidente da Springer Financial Advisors, o Dow Jones pode superar a barreira dos 12.200 pontos, um nível técnico de resistência, se os líderes europeus demonstrarem progresso nos esforços para conter a crise das dívidas da região. “Estamos na ponta mais alta do intervalo e tudo vai girar em torno da Alemanha. Se os alemães aceitarem os planos, o mercado pode decolar. Nós já ouvimos todas as notícias ruins. O mercado nunca quebra por notícias que já sabemos.” As informações são da Dow Jones.