Clique e assine a partir de 9,90/mês

Em meio a especulações sobre sua saída, Levy cancela participação na reunião do G20

Ministro da Fazenda ficará no Brasil para encontro com Dilma e os ministros Nelson Barbosa e Aloizio Mercadante, mas mantém compromissos na Europa na próxima semana

Por Ana Clara Costa, de Brasília - 3 set 2015, 14h49

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, cancelou sua viagem à Turquia, prevista para hoje, após ser convocado para uma reunião com a presidente Dilma Rousseff e os ministros Nelson Barbosa (Planejamento) e Aloizio Mercadante (Casa Civil). Levy participaria da reunião de ministros da Fazenda do G20, que começa nesta sexta-feira, em Ancara. A convocação ocorreu na manhã desta quinta-feira e a assessoria de imprensa do ministro não informou a pauta. O embarque do ministro ocorreria em Guarulhos, em São Paulo, e estava previsto para 16h30.

Mesmo com o cancelamento da viagem à Turquia, o ministro manteve a agenda na Europa na semana que vem. Na segunda-feira, ele participa de seminário do jornal El País, em Madri, e na terça, estará em Paris, para reunião com investidores e membros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O cancelamento ocorre em meio a rumores sobre a saída do ministro, depois de diversas derrotas acumuladas ao longo das últimas semanas. Não só o ajuste fiscal desenhado por Levy mostrou-se incompleto e insuficiente, como também suas tentativas de entregar um texto orçamentário com previsão de superávit no ano que vem foram vencidas pela estratégia de “déficit transparente” de Mercadante e Barbosa. A última derrota do ministro ocorreu na noite de quarta-feira, quando um dos itens da “pauta-bomba”, que amplia a abrangência do Supersimples e reduz a arrecadação da Receita, foi aprovado na Câmara dos Deputados.

Também na quarta, o ministro falou com a presidente Dilma Rousseff, queixando-se da “fritura” à qual vem sendo submetido tanto por setores do PT e do próprio governo. A ala do PT mais alinhada ao ex-presidente Lula (e, consequentemente, a Nelson Barbosa) trabalha em uma nova proposta de política econômica para tentar reavivar a economia. Barbosa tem se fortalecido no governo não só por ter apoio da ala próxima de Lula, mas também do ministro Mercadante, que chancela as propostas de Barbosa e lhe dá apoio perante a presidente.

Continua após a publicidade

Nos bastidores, nem mesmo os aliados do presidente do Senado, Renan Calheiros, que vinham apoiando as medidas de ajuste do ministro e a construção da “Agenda Brasil”, acreditam que ele consiga recuperar as rédeas da condução da política econômica. Peemedebistas próximos de Renan têm apoiado a proposta de orçamento deficitário de Barbosa e se mostram cada vez mais descrentes na eficácia das medidas de ajuste propostas até o momento.

A participação do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, nos eventos do G20 na Turquia está confirmada, segundo o Diário Oficial. A publicação informa que Tombini ficará afastado de hoje até o dia 8 de setembro. Além dos compromissos do G20, Tombini ainda cumprirá agenda na reunião bimestral do Banco de Compensações Internacionais (BIS).

Leia mais:

Imprensa internacional: a derrocada do ministro ‘mãos de tesoura’

Continua após a publicidade

Levy apela ao TCU por receita extra de R$ 21 bi com concessões de energia

Levy reclamou de isolamento e falta de apoio do governo

Publicidade