Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Economistas preveem inflação abaixo de 4% em 2018

Última vez que a expectativa para o IPCA esteve abaixo desse patamar foi em junho deste ano

Pela quinta semana consecutiva, economistas consultados pelo Banco Central (BC), reduziram suas projeções para a inflação de 2018. A cada baixa, fica mais longe a expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do centro da meta de inflação. A mediana das estimativas, apresentadas no Boletim Focus, desta segunda-feira 26 está em 3,94% para 2018  na última semana, estava em 4,13%. O centro da meta para este ano é de 4,5%. É a primeira vez que a expectativa para inflação encontra-se abaixo do patamar de 4% desde junho deste ano.

A previsão para 2019, também caiu, de 4,2% para 4,12%, pouco abaixo da meta para o próximo ano – 4,25%. Já, para 2020, a projeção ficou estável em 4%, exatamente no centro da meta válida para esse ano.

As projeções para o dólar ficaram inalteradas de uma semana para cá. Os economistas preveem que a moeda americana deva encerrar o ano em 3,70 reais. Para 2019, a expectativa é que o dólar fique em 3,78 reais, dois centavos acima da projeção anterior.

Selic e PIB

Depois de 44 semanas, os economistas reviram suas projeções para a taxa básica de juros (Selic) de 2019. Durante quase todo o ano, a mediana das previsões indicava que a Selic ficaria 8% ao ano. Agora, o indicador aponta para uma taxa de 7,75% ao ano. Para 2018, ela permanece inalterada em 6,5% – o patamar atual – pela 26ª semana seguida. Para 2020, as previsões para a Selic permanecem em 8% ao ano.

Em relação à atividade econômica, o país deve crescer 1,39% em 2018, de acordo com os economistas. A previsão ficou pouco acima em relação à semana anterior, que indicava 1,36%. Esta é a primeira semana de alta. Eles mantiveram a expectativa de crescimento de 2,5% para o PIB em 2019, 2020 e 2021.