Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Economia americana tem maior crescimento em 5 anos

Dados preliminares do governo indicam aceleração do PIB de 2,9% em 2010

Por Da Redação
28 jan 2011, 11h41

A economia dos Estados Unidos cresceu 2,9% no ano passado, segundo dados divulgados nesta sexta-feira pelo governo americano. O resultado representa a maior alta anual do Produto Interno Bruto (PIB) do país em cinco anos. Os números, porém, ainda são preliminares e serão revisados duas vezes.

O resultado foi bastante influenciado pela aceleração no último trimestre, quando o PIB subiu 3,2%. O resultado trimestral, porém, ficou abaixo da expectativa de analistas do mercado, que projetavam um crescimento de 3,5%.

O PIB americano cresceu 2,6% no terceiro trimestre, 1,7% no segundo, e 3,7% no primeiro trimestre de 2010. Os gastos com consumo, que respondem por cerca de 70% da demanda na economia dos EUA, subiram 4,4% no quarto trimestre do ano passado. A taxa foi a mais alta desde o início de 2006 e é duas vezes maior que o aumento médio dos gastos nos três trimestres anteriores de 2010.

A economia americana foi beneficiada também pelo superávit comercial registrado no quarto trimestre de 2010. As exportações líquidas contribuíram com 3,44 pontos porcentuais para o crescimento do PIB. No terceiro trimestre, a diferença entre exportações e importações do país retirou 1,7 ponto porcentual do PIB.

Outro fator que contribuiu para o aumento do PIB foram os investimentos fixos não residenciais. No entanto, os estoques menores das empresas e a queda do gasto do governo pesaram sobre o resultado. Os gastos com bens duráveis, como carros e móveis, saltaram 21,6%, enquanto as despesas com bens não duráveis, como alimentos e roupas, subiram 5%. Os gastos com serviços, como transporte e cuidados com a saúde, aumentaram 1,7%.

Continua após a publicidade

No entanto, os gastos dos consumidores continuam baixos nos EUA em comparação com as taxas observadas após severas recessões anteriores. Nos quatro trimestres que se seguiram à recessão de 1982, os aumentos dos gastos foram de 4% a 8%.

Consumo – O núcleo do índice de preços para gastos com consumo pessoal (PCE, na sigla em inglês) – o indicador preferido do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) sobre inflação – subiu à taxa anualizada de 0,4% no quarto trimestre do ano passado, depois de avançar 0,5% no terceiro trimestre, segundo o Departamento do Comércio. O índice cheio de preços PCE avançou 1,8% no quarto trimestre, após aumentar 0,8% no terceiro trimestre.

(Com agências EFE e Estado)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.