Clique e assine a partir de 9,90/mês

Dólar termina a semana acima de R$ 3,60

Moeda americana subiu 0,38% nesta sexta-feira, pressionada por fala da dirigente do Fed, Janet Yellen, de que juro deve subir nos EUA nos 'próximos meses'

Por Da Redação - 27 May 2016, 17h47

O dólar fechou em alta e voltou a superar 3,60 reais nesta sexta-feira, com operadores aumentando as apostas de que o Federal Reserve pode elevar os juros já em junho, após a presidente do banco central dos Estados Unidos, Janet Yellen, afirmar que aumentos devem ser apropriados nos próximos meses. No fim da sessão, a moeda subiu 0,38%, a 3,6110 reais na venda, abaixo das máximas da sessão, quando chegou a 3,6307 reais. Na semana, a divisa acumulou alta de 2,64%.

Em evento em Boston, Yellen afirmou que o Fed deve elevar os juros “nos próximos meses” se o crescimento econômico melhorar como o esperado e se o mercado de trabalho continuar a se fortalecer. Os juros futuros dos EUA passaram a apontar chance de 34% de aumento de juros em junho após as declarações, contra 30% antes.

“Yellen ficou na linha do que vínhamos ouvindo de outros membros do Fed, apontando para a possibilidade de subir juros em breve”, disse o economista da corretora Renascença Marcos Pessoa. O aperto monetário nos EUA pode atrair para a maior economia do mundo recursos atualmente aplicados em países como o Brasil, que se beneficiam de juros elevados.

O dólar já vinha subindo frente ao real desde o início da sessão, com investidores adotando cautela em meio ao noticiário político intenso no Brasil e em sessão marcada por baixo volume de negócios na emenda do feriado de Corpus Christi. “O mercado está muito esvaziado hoje e continua bastante preocupado com a política”, resumiu o operador da corretora B&T Marcos Trabbold, ressaltando que o giro financeiro baixo tende a acentuar o impacto sobre as cotações.

Continua após a publicidade

Figuras importantes ligadas ao governo do presidente interino Michel Temer têm sido golpeadas por trechos de gravações divulgadas pela imprensa que já resultaram na queda dosenador Romero Jucá (PMDB-RR) do comando do Ministério do Planejamento,. Investidores temem que isso enfraqueça a capacidade do governo de aprovar medidas de austeridade fiscal no Congresso Nacional e afete a credibilidade do país junto a investidores estrangeiros.

Leia mais:

Bancos estrangeiros pressionam clientes para aderirem à lei da repatriação

Anac multa concessionária de Viracopos em R$ 95 milhões

Continua após a publicidade

Bovespa – Também em reação ao discuros de Yellen, a Bovespa fechou no vermelho nesta sexta-feira, em baixa de 0,86%, a 49.056 pontos, segundo dados preliminares. A bolsa brasileira chegou a ensaiar alta no início do pregão, ajustando-se a movimentos do mercado nesta quinta-feira, quando ficou fechada por feriado. Mas não sustentou os ganhos e acentuou perdas após a fala de Yellen.

(Com Reuters)

Publicidade