Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dólar volta a subir e encerra a semana aos R$ 4

Bolsa tem alta, mas não recupera os 100 mil pontos; moeda americana fecha pregão com valorização acumulada de 1,5% na semana

O dólar encerrou o pregão desta sexta-feira, 16, em leve alta de 0,3%, voltando à marca dos 4 reais, com investidores adotando cautela antes do fim de semana ainda em função do exterior, onde prevalecem incertezas ligadas à disputa comercial entre Estados Unidos e China. Já o Ibovespa, o principal índice da bolsa de São Paulo, fechou em alta de 0,76%, mas abaixo dos 100 mil pontos pela segunda vez desde junho, aos 99.805,78 pontos. Na semana, a queda acumulada foi de 4,03%.

No acumulado da semana, a dólar avançou 1,5% ante o real, registrando a quinta semana consecutiva de alta. Em antecipação ao fim de semana, agentes financeiros buscaram proteção, após uma abertura de pregão mais propensa ao risco nesta sexta-feira. Na quinta-feira, a China prometeu retaliar as mais recentes tarifas impostas pelos EUA, sobre 300 bilhões de dólares em produtos chineses. Mais tarde, porém, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aliviou o tom e afirmou estar mantendo boas discussões com o país asiático.

De acordo com o superintendente da Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva, a notícia sobre o tom mais moderado de Trump animou investidores e endossou a abertura em queda nesta sexta-feira. Entretanto, ao longo do pregão agentes financeiros reavaliaram posições e, com a ausência de fatos novos que justificassem o otimismo, optaram por proteção antes do final de semana. “Nosso mercado aqui continua trabalhando protegido em função principalmente do fim de semana”, afirmou Gomes da Silva. “Neste momento, nós estamos em função das questões que envolvem EUA e China, basicamente”, acrescentou. O real acompanhou o movimento de outras moedas emergentes neste pregão, como o peso mexicano, que também caía cerca de 0,3% frente ao dólar.

Internamente, as atenções seguem voltadas para avanços da pauta econômica no Congresso, notadamente a tramitação da reforma da Previdência no Senado, que passará por análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa para, em seguida, ir a plenário. A reforma tributária também está no radar de investidores. Nesta sexta-feira, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que é possível aprovar a proposta ainda neste ano em pelo menos uma das Casas do Congresso.

Entre os destaques do pregão desta sexta-feira, estão as ações da Cemig, uma das principais concessionárias de energia do país, que avançaram 3,05%, depois de divulgar lucro líquido de 2,1 bilhões de reais no segundo trimestre, ante prejuízo de 10,9 milhões de reais um ano antes e o presidente da estatal, Cledorvino Belini, sinalizar que a empresa pode ser privatizada. Já a Via Varejo, varejista responsável por marcas como a Casas Bahia e o Pontofrio, registrou queda de 7,41% nas ações depois de publicar balanço trimestral minguado.

(Com Reuters)