Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘Divulgar o vídeo de Eike não foi inteligente’, diz Malafaia

Líder evangélico criticou a divulgação de registro do empresário em celebração religiosa. "É antipropaganda", afirma

Por Teo Cury - Atualizado em 11 ago 2016, 12h01 - Publicado em 10 ago 2016, 19h50

O pastor Silas Malafaia é um dos mais ativos líderes evangélicos brasileiros nas redes sociais. Somados, seus perfis no Facebook, no Twitter e no Instagram têm mais de 3,5 milhões de seguidores. Malafaia soube pela internet da ida do empresário Eike Batista a um culto da Assembleia de Deus de Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio de Janeiro, na última segunda-feira. A visita à igreja ganhou grande repercussão depois da divulgação de um vídeo do ex-bilionário durante o culto – o que, para Malafaia, expôs o empresário de maneira que acaba funcionando como “antipropaganda”.

“Acho que isso expõe as pessoas e não contribui para a Igreja Evangélica”, disse Malafaia, que é da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, uma corrente diferente da congregação visitada por Eike. “Ir à igreja é uma coisa muito reservada, e divulgar não é inteligente.” Ele continua: “Eu já recebi pessoas públicas, ilustres, na minha igreja – jogadores de futebol de alto nível, de seleção, artistas globais, mas eu não exponho. Não acho que contribui em algo”.

Leia também:
‘O diabo perdeu’: Eike frequenta a Assembleia de Deus
Como é a vida do “classe média” Eike Batista

Malafaia diz conhecer de longa data o trabalho do pastor Daniel Silva, que ministrou o culto frequentado por Eike Batista na última segunda. Mesmo com as ressalvas em relação à divulgação do vídeo, ele elogiou o trabalho de Silva na evangelização “de libertação”. Esse tipo de culto, explica o líder evangélico, costuma ser frequentado por quem está “angustiado, depressivo, precisando de socorro“. A explicação não fazia menção ao empresário, mas ao tipo de culto.

Ao site de VEJA, um porta-voz de Eike confirmou que o empresário esteve no culto na última segunda, mas que ele não comentaria o episódio por se tratar de um assunto de foro íntimo. A reportagem solicitou entrevista ao pastor Daniel Silva, mas ainda não tinha conseguido retorno até a última edição deste texto.

Continua após a publicidade
Publicidade