Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Dia dos Namorados anima vendas no comércio varejista

Desaceleração da inflação, queda dos juros e uso de recursos do FGTS foram fatores que contribuíram para alta nas vendas, segundo pesquisa

Por Da redação 13 jun 2017, 18h17

Os consumidores gastaram mais para presentear o companheiro neste Dia dos Namorados. A alta foi de 2,6% em relação a 2016, segundo levantamento da Boa Vista SCPC. No ano passado, houve uma queda na compra dos presentes em 5,8%.

O resultado positivo é o primeiro em três anos. Outro dado, dessa vez da FecomercioSP, revela que o faturamento das vendas para o período também cresceu ante 2016: aumento de 1,9 bilhões de reais, totalizando 44 bilhões de reais.

Segundo a Boa Vista, o resultado indica uma recuperação do comércio neste ano. Outros fatores que colaboraram para a alta foram a desaceleração da inflação, queda dos juros e liberação dos recursos das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

A FecomercioSP prevê que as vendas do comércio varejista cresçam 3% no mês de junho no Estado de São Paulo. O resultado deve ser impulsionado pelo Dia dos Namorados. Sondagem prévia mostrou que os consumidores estavam dispostos a gastar 10% a mais em presentes em relação à data em 2016.

Vendas parceladas

Mesmo com o índice positivo, pesquisa da SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) apontou queda no número de vendas parceladas em 9,61%, em comparação ao mesmo período do ano passado.

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o resultado demonstra que a aguardada recuperação das vendas no varejo deverá ser, novamente, adiada. “Embora os juros estejam diminuindo e a inflação em patamar abaixo da meta, o comércio só deverá sentir os efeitos positivos do fim da recessão quando a recuperação econômica se refletir em aumento da renda e da empregabilidade, fato que ainda não aconteceu”, ponderou ela.

Ainda assim, especialistas do SPC Brasil e da CNDL afirmam que a queda menos intensa nas vendas em 2017 do que no ano passado (-15,23%) pode indicar um rumo melhor para o varejo nas próximas datas comemorativas.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)