Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Criação de vagas em janeiro é a pior em 4 anos

Segundo dados do Caged, o saldo de admissões e demissões foi de 28,9 mil vagas, o menor desde 2009; resultado surpreendeu analistas

Apesar da recuperação em relação ao grande volume de demissões tradicionais feitas no mês de dezembro, o mercado de trabalho começou o ano de 2013 enfraquecido. A criação de postos de trabalho com carteira assinada no último mês de janeiro representa o pior desempenho para o mês desde 2009, ano em que 101.748 vagas foram fechadas. O saldo líquido de empregos formais gerados em janeiro foi de 28.900, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira pelo Ministério do Trabalho e Emprego. O número é resultado de admissões de 1.794.272 empregados com carteira assinada e desligamentos de 1.765.372.

O volume de janeiro também ficou abaixo das estimativas de analistas de 13 instituições financeiras. As previsões iam de um saldo líquido de empregos com carteira assinada de 30 mil a 102,4 mil. Com base neste intervalo de estimativas, a mediana ficou em 50 mil.Os números não passaram por ajuste. Em relação a 2012, o volume de empregos gerados em janeiro de 2013 com carteira assinada foi 84% menor. Em janeiro de 2012, foram criados 180.630 postos, levando-se em conta os dados ajustados, ou seja, que já incluem as informações do mercado de trabalho formal enviadas pelas empresas fora do prazo.

Já na comparação sem ajuste, que considera o primeiro dado divulgado pelo MTE sem a compilação das informações enviadas com atraso pelas empresas, foi constatada uma queda de 75,69% na geração de empregos com carteira em janeiro deste ano ante janeiro de 2012, quando o saldo foi de 118.895 postos.

Leia também:

Criação de empregos de 2012 é a pior dos últimos 3 anos

Desemprego fecha 2012 em 5,5%, menor taxa em 11 anos

Após dois anos de alta, emprego na indústria volta a cair

Setores – O desempenho ruim também foi provocado por menor geração de oportunidades em quase todos os setores. No de serviços, por exemplo, houve a contratação líquida de 14.746 trabalhadores em janeiro, enquanto em igual mês do ano passado o número havia sido de 61.463.

A agricultura mostrou dispensa líquida de 622 trabalhadores, enquanto que em janeiro de 2012 o setor havia contratado, também em termos líquidos, 12.318 trabalhadores.

Já a construção civil, segundo o Caged, registrou contratação líquida de 33.421 pessoas no último mês, menor que as 42.199 em janeiro de 2012.

No ano passado foi registrada a criação de 1,301 milhão de vagas. O governo prevê que 2013 serão criadas 2 milhões de vagas formais. Isso deve contribuir para manter o desemprego em mínimos históricos e em meio a um contexto de elevação dos rendimentos pagos aos trabalhadores.

(Com agência Reuteres e Estadão Conteúdo)