Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Coronavírus faz PIB da zona do Euro encolher 3,8% no 1º trimestre

É o maior recuo trimestral já registrado pela série histórica iniciada em 1995

Por Larissa Quintino Atualizado em 30 abr 2020, 08h42 - Publicado em 30 abr 2020, 08h33

O impacto deixado pelo coronavírus nas economias mundiais mostra o retrato devastador da doença, que já deixou mais de 211 mil mortos em todo o mundo. No caso da zona do euro, a economia encolheu 3,8% no primeiro trimestre de 2020, informou o Gabinete Europeu de Estatística (Eurostat) nesta quinta-feira, 30. Esse é o maior recuo trimestral já registrado pela série histórica iniciada em 1995. Em março, a Europa foi considerada como epicentro da pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com a situação dramática em diversos países, principalmente na Itália, Espanha e França. Como medida de combate à pandemia, diversos países lançaram mão do lockdown, que é o bloqueio na circulação de pessoas.

ASSINE VEJA

Coronavírus: uma nova esperança A aposta no antiviral que já traz ótimos resultados contra a Covid-19, a pandemia eleitoral em Brasília e os fiéis de Bolsonaro. Leia nesta edição.
Clique e Assine

Na comparação com os 3 primeiros meses de 2019, a contração foi de 3,3%, maior declínio nessa base de comparação desde o 3º trimestre de 2009 (-4.5%). No 4º trimestre do ano passado, o PIB nos 19 países que usam o euro tinha avançado 0,1%.

No caso da França, que compõe a zona do euro, o PIB encolheu 5,8% no primeiro trimestre sobre os três meses anteriores, maior recuo desde a segunda guerra mundial, informou a agência nacional de estatísticas INSEE.
No Brasil, ainda não é possível medir o impacto. O PIB do primeiro trimestre será divulgado em maio pelo Instituto de Geografia e Estatística (IBGE).

Economia da China também recua

O epicentro inicial da doença, a China, registrou no primeiro trimestre de 2020 a primeira queda desde 1992, quando começaram a ser divulgados os dados do PIB. O tombo foi de 6,8% entre janeiro e março. A nova doença foi reportada nos últimos dias de 2019 e causou lockdown em diversas regiões do país, fechando empresas e restringindo deslocamento de pessoas. Mesmo passado o pico da pandemia, o país ainda sente impacto, devido a economia globalizada.

Nesta quinta-feira, o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial de indústria da China caiu a 50,8 em abril ante 52 em março, informou a Agência Nacional de Estatísticas. Apesar do recuo, ainda pode se considerar que há crescimento, já que o indicador abaixo de 50 indica a contração. 

(Com Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade