Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Conar barra comercial da Nextel com “ruivo da Vivo”

Órgão de regulamentação publicitária foi acionado pela Tim e pela Oi, que alegaram concorrência desleal e dano a suas imagens

O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) determinou na última quarta-feira a suspensão do comercial da operadora de telefonia móvel Nextel que fazia referência a concorrentes. A decisão é liminar e válida até o julgamento do caso, previsto para maio. Até lá, o Conar determina que a empresa deve interromper a veiculação do vídeo na internet e na televisão (veja o vídeo abaixo).

Na peça, o ator João Cortês, que ficou conhecido por atuar em propagandas da Vivo, aparece em cenários e situações que remetem a propagandas de outras operadoras – Tim, Claro, Oi e a própria Vivo. As referências são indiretas. No caso da Tim, o personagem questiona um ator, que está sapateando de modo similar ao que é visto em um comercial da operadora. “Por quê você está dançando no meio da biblioteca?”, diz ele.

Cortês é interpelado por outro ator: “Você não é o ruivo da…”. Ao que responde, interrompendo: “Era, agora não sou mais. João Cortês, prazer. Faça como eu, mude para Nextel”. A referência à Oi acontece quando um personagem ouve Cortês dizer que a Nextel foi considerada a melhor operadora do Brasil por três anos e diz “Oi?”.

A decisão do Conar acontece em resposta ao pedido da Tim e da Oi, que alegaram concorrência desleal e ter a imagem denegrida. Entre os itens que podem ser considerados como concorrência desleal está a alegação, sem provas, de superioridade frente à concorrência. O filme traz como referência da afirmação da Nextel uma legenda indicando prêmio recebido pelo jornal O Estado de S. Paulo.

A liminar é válida até o julgamento do caso em segunda instância, que não tem data para ocorrer, mas a expectativa é de que ele seja pautado para as próximas reuniões do Conar, em maio. Não há punição por parte do órgão em caso de descumprimento da determinação.

Versões das empresas

Procurada por VEJA, a Nextel disse que vai acatar a determinação e estuda medidas a serem tomadas. A empresa afirma que busca veicular propagandas claras e transparentes, e que as informações estavam identificadas. “A operadora esclarece que o uso da expressão ‘melhor operadora de celular do Brasil’ em sua atual campanha tem como base a pesquisa Melhores Serviços, realizada pelo jornal O Estado de S. Paulo em parceria com o Blend New Research – HSR que pelo terceiro ano consecutivo apontou a Nextel como líder do ranking de telefonia móvel do país.” afirmou a empresa em nota.

A Tim e a Oi disseram que não comentariam o caso.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Propaganda genial, divertida e sem ofender ninguém.
    ——————————————————————–
    É por isso que o Brasil não vai pra frente : A concorrência não admite ter concorrência. Uma ideologia reinante não admite debater com outra ideologia. Uma classe, quando erra, não pode ser criticada por outra classe. Etc etc etc…

    Curtir

  2. news da hora

    Essas agencias reguladoras só servem para ser cabides de empregos para os petralhas , mdbtralhas e cias .

    Curtir

  3. news da hora

    Esses reguladores de meia patacas adoram atrapalhar quem trabalha e investe de verdade neste país .

    Curtir

  4. news da hora

    E muito são chegados numa propina , pois o esquema é este , atrapalhar as empresas para depois solicitar caxinhas .

    Curtir

  5. CARLOS SOLRAC

    Oi e Nextel estão falidas e prestam um péssimo serviço. Tim e Vivo prestam um bom serviço aqui na região do Vale do Paraiba.

    Curtir

  6. Sérgio Passos

    Lamentável decisão. É aí que nota-se o quão primitivo é o conceito de liberdade da nossa democracia! Nos EUA, uma decisão assim nunca seria tomada.

    Curtir