Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Colheita de soja deve ganhar ritmo com tempo favorável–Somar

SÃO PAULO, 30 Jan (Reuters) – A colheita de soja da temporada 2011/12 no Brasil, que avançou lentamente no Centro-Oeste até a semana passada, deverá se acelerar nos próximos dias, devido à previsão de que ocorram chuvas em forma de pancadas, o que permite os trabalhos nas lavouras, avaliou a Somar Meteorologia nesta segunda-feira.

A colheita de soja no Brasil havia sido realizada até o final da semana passada em 3 por cento da área total do país, à frente do registro de 1 por cento na mesma época do ano passado e em linha com a média histórica dos últimos cinco anos, segundo levantamento divulgado nesta segunda-feira pela consultoria AgRural.

Esperava-se, no entanto, que a colheita estivesse mais adiantada especialmente no Centro-Oeste do Brasil, porque o plantio foi antecipado este ano. Mas chuvas constantes impediram a entrada das máquinas nos campos em várias regiões.

“Os primeiros dez dias de fevereiro vão estar bastante favoráveis à colheita em Mato Grosso, porque não tem um padrão das chuvas que vimos nas últimas semanas. A previsão de chuvas é na forma de pancadas”, disse o agrometeorologista da Somar Marco Antônio dos Santos.

Outras áreas do Brasil, segundo produtor global de soja, deverão contar com tempo favorável para a colheita.

“As chuvas não vão vir na forma de invernada (vários dias seguidos de chuvas). Vai ter tempo suficiente para o produtor colher a soja sem maiores problemas. O que aconteceu em janeiro (no Centro-Oeste) é que chovia todo dia e toda a hora. Continuam as previsões de chuvas, mas na forma de pancadas.”

O agrometeorologista da Somar ressaltou que há grandes áreas com soja pronta para colher. “Vamos ver um incremento muito forte na colheita da soja nos próximos dias, tem muita soja dessecada e pronta para colher, o que estava acontecendo é que os produtores não conseguiam ir a campo, então vai ter um incremento alto”, declarou.

Um novo período de invernada, segundo o meteorologista da Somar, só deverá vir na segunda quinzena de fevereiro.

COLHEITA

A AgRural informou que a colheita já atinge 7 cento da área de soja em Mato Grosso, maior produtor da oleaginosa do Brasil, ligeiramente abaixo da média dos últimos cinco anos para esta época (8 por cento), mas à frente dos 5 por cento verificados ao final de janeiro de 2011.

Em Goiás, a colheita também está 1 ponto percentual atrás da média histórica, mas também está à frente da temporada passada, quando a semeadura atrasou e os trabalhos da safra demoraram mais para serem finalizados.

“Mas não são apenas as chuvas acima da média que tornam a colheita mais lenta que o esperado. Devido à longa sequência de dias nublados durante o desenvolvimento das lavouras no Centro-Oeste, o ciclo da soja teve um alongamento entre cinco e dez dias. Por isso, o volume de grãos prontos para a colheita é menor que o normal”, observou a consultoria.

O potencial produtivo da safra do Centro-Oeste, entretanto, é bom, disse a AgRural.

No Paraná, afetado fortemente por uma seca em dezembro e início de janeiro, a colheita se concentra no oeste do Estado, que planta antes e teve quebra por causa da estiagem. Segundo a AgRural, cerca de 6 por cento da área está colhida na região, mas o índice poderia ser maior, não fosse a chuva em alguns dias desta semana.

“No resto do Estado (Paraná), e especialmente nas regiões sul e leste, onde o plantio é mais tarde, as chuvas favorecem as lavouras”, pontuou a consultoria.

Diferentemente do Centro-Oeste, o Sul do país teve problemas com a falta de chuva nesta safra, o que resultou em quebra da produção brasileira. A AgRural estima a colheita nacional em 70,2 milhões de toneladas, queda 5,1 milhões de toneladas na comparação com a temporada passada.

(Por Roberto Samora)