Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

CÂMBIO-Dólar opera em alta, colado ao exterior

Por Da Redação 14 fev 2012, 10h52

SÃO PAULO, 14 Fev (Reuters) – O dólar registrava alta frente ao real nesta terça-feira, em linha com os mercados internacionais, que operam divididos entre os indicadores econômicos da Europa e as contínuas preocupações com a Grécia.

Às 11h50 (horário de Brasília), o dólarera negociado a 1,7198 real para venda, em alta de 0,28 por cento. Na segunda-feira, a moeda norte-americana fechou a 1,7150 real para venda, em queda de 0,67 por cento.

A confiança de analistas e investidores da Alemanha subiu muito mais que o esperado em fevereiro, refletindo uma melhora nos mercados internacionais. Por outro lado, a produção industrial da zona do euro teve forte queda no final de 2011, indicando uma possível retração da economia na região.

Na Grécia, o governo do país se apressa para aprovar outro corte de 325 milhões de euros no orçamento, necessário para a União Europeia (UE) e o Fundo Monetário Internancional (FMI) liberarem a segunda parcela do resgate ao país.

Para o consultor financeiro da Previbank DTVM Jorge Lima, não há nesta terça-feira indicadores relevantes que possam ditar uma tendência para o dólar, o que está deixando o fluxo baixo até o momento. Ele destacou, no entanto, que o mercado continua receoso com a possibilidade de intervenção do Banco Central.

A autoridade monetária voltou a atuar no mercado em 3 de fevereiro, realizando até o momento dois leilões de compra a termo e um leilão à vista.

“O Banco Central está desempenhando um papel de estancar essa valorização do real, mas está, de certa forma, esperando que o próprio mercado segure a cotação em algum patamar”, opinou o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo.

Em relação a uma cesta de moedas, o dólar subia 0,44 por cento, enquanto o euro registrava perdas de 0,34 cento, cotado a 1,3146 dólar. Na Europa, o índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 recuava 0,21 por cento.(Por Natália Cacioli; Edição de Hélio Barboza)

Continua após a publicidade

Publicidade