Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Brexit faz Reino Unido perder nota máxima na S&P após meio século

Agência de classificação de risco Standard & Poor's rebaixou o rating britânico de 'AAA' para 'AA' por causa das incertezas geradas pela saída dos britânicos da UE

Por Da Redação - 27 jun 2016, 15h21

A agência de classificação de riscos Standard & Poor’s (S&P) retirou nesta segunda-feira do Reino Unido a nota máxima de sua escala, “AAA”, e a rebaixou para “AA” por causa das incertezas geradas pela decisão dos britânicos de deixar a União Europeia no referendo realizado na última quinta-feira. O Reino Unido mantinha a nota máxima na escala da S&P havia meio século.

“Em nossa opinião, esse resultado (da consulta popular) é um evento fundamental que levará a um quadro político menos previsível, estável e efetivo no Reino Unido”, afirmou a agência em comunicado.

Leia mais:

Com Brexit, economia britânica mergulha no desconhecido

Publicidade

Uma em cada cinco empresas britânicas prevê transferências após Brexit

Além do rebaixamento, a agência colocou a nota em perspectiva negativa, o que deixa espaço para novos cortes no curto prazo – habitualmente, a perspectiva negativa sinaliza redução do rating em um horizonte de até três meses. Segundo a S&P, o sinal negativo da nota reflete o risco das perspectivas econômicas britânicas, assim como “o papel da libra esterlina como moeda de reserva”.

Nas agências de classificação de risco, quanto mais alta a avaliação, menos os países pagam para se financiar no exterior. Isso significa que o governo e as empresas britânicos terão de bancar juros mais salgados em futuras operações de financiamento externo.

A decisão da S&P foi a primeira do gênero a ser tomada por uma agência de rating, mas não foi um movimento isolado. Na sexta-feira, um dia depois do referendo que deu vitória ao “Brexit” (contração, em inglês, de “saída britânica”), a agência Moody’s reduziu a perspectiva da nota britânica de “estável” para “negativa”. No momento, a nota do Reino Unido na avaliação da Moody’s é Aa1, a segunda mais alta em sua escala.

Publicidade

(Da redação)

Publicidade