Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil tem déficit em transações correntes recorde em janeiro

Número foi influenciado principalmente pelo saldo negativo da balança comercial e pelas remessas de lucros e dividendos ao exterior

O Brasil registrou déficit em transações correntes de 11,371 bilhões de dólares em janeiro, número recorde e influenciado principalmente pelo saldo negativo da balança comercial e pelas remessas de lucros e dividendos ao exterior, informou o Banco Central nesta sexta-feira.

O resultado do mês passado – pior do que o esperado por economistas, que previam saldo negativo de 9,6 bilhões de dólares – também não foi compensado pelos Investimentos Estrangeiros Diretos (IED), que somaram apenas 3,703 bilhões de dólares. Neste caso, as projeções eram de 4,5 bilhões de dólares.

O rombo nas transações correntes – que englobam boa parte das operações do país com o exterior – veio do déficit de 4,036 bilhões de dólares na balança comercial em janeiro, muito acima do saldo negativo de 1,307 bilhão de dólares visto um ano antes, e pela remessa de lucros e dividendos de 2,068 bilhões de dólares. Em janeiro de 2012, esses envios haviam somado 981 milhões de dólares.

Leia também:

Balança comercial tem pior superávit em 10 anos em 2012

Os gastos líquidos de brasileiros no exterior com viagens, ainda segundo o BC, chegaram a 1,598 bilhão de dólares em janeiro, mês marcado por despesas com férias, com leve alta sobre os gastos de 1,426 bilhão de dólares em dezembro.

O BC projeta para este ano déficit em transações correntes de 65 bilhões de dólares, resultado que seria financiado pelo IED, cuja estimativa também é de 65 bilhões de dólares para este ano.

Ainda segundo a autoridade monetária, em janeiro, as aplicações estrangeiras em ações negociadas no Brasil ficaram em 3,323 bilhões de dólares, praticamente estáveis frente a dezembro. Por outro lado, os investimentos estrangeiros em renda fixa no país somaram de 372 milhões de dólares líquidos no mês passado, depois de um saldo negativo 524 milhões de dólares em dezembro.

(Com Reuters)