Clique e assine a partir de 9,90/mês

Brasil tem a maior saída de dólares desde a crise financeira

Dados do Banco Central mostram que o país perdeu 4,28 bilhões de dólares em junho – o pior fluxo cambial desde dezembro de 2008

Por Da Redação - 7 jul 2010, 13h41

Apesar do mau resultado do mês passado, o primeiro semestre terminou com ingresso de 3,3 bilhões de dólares

Os dólares voltaram a sair do país em ritmo comparável ao pior momento da crise financeira de 2008. Dados divulgados nesta quarta-feira pelo Banco Central (BC) mostram que o Brasil perdeu 4,279 bilhões de dólares no mês passado, o pior fluxo cambial desde dezembro de 2008, quando o saldo havia sido negativo em 6,373 bilhões de dólares.

Segundo o BC, o forte resultado negativo foi resultado, principalmente, do movimento da chamada conta financeira, onde são registradas as transações para compra e venda de ações e papéis de renda fixa, investimento produtivo e remessa de lucros e dividendos, entre outras. Nessa conta, o mês registrou saída líquida de 3,491 bilhões de dólares, o pior desempenho desde março de 2009. O número é resultado de saídas totais de 28,450 bilhões de dólares e ingressos de 24,959 bilhões de dólares.

Na conta comercial, o mês terminou com resultado negativo de US$ 788 milhões, gerado por importações de 14,749 bilhões de dólares. O valor superou com folga as exportações, que somaram 13,961 bilhões no mês de dólares.

Semestre – Apesar do mau resultado do fluxo cambial em junho, o primeiro semestre de 2010 terminou com ingresso de dólares no Brasil. Os dados mostram que o país recebeu 3,363 bilhões de dólares no acumulado de janeiro a junho. O desempenho é 26,2% maior que o verificado em igual período de 2009, quando o Brasil ainda deixava o pior momento da crise financeira.

Segundo os números do BC, a maior parte dos dólares ingressou pelo canal financeiro, onde são registradas as transações para compra e venda de ações e papéis de renda fixa, investimento produtivo e remessa de lucros e dividendos, entre outras. Por essa via, o semestre teve ingresso líquido de 2,151 bilhões de dólares, fruto de 158,027 bilhões de dólares em entradas totais e 155,877 bilhões de dólares em saídas totais. Ao mesmo tempo, os seis meses tiveram saldo positivo de 1,213 bilhão de dólares na conta comercial. O período teve exportações totais de 80,041 bilhões de dólares e saídas de 78,828 bilhões de dólares.

(com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade