Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Brasil abre 48 mil vagas com carteira assinada em junho

Resultado é o melhor para o mês desde 2013; ao todo, 408.500 postos formais foram abertos no ano

Por da Redação - 25 jul 2019, 11h03

O Brasil registrou a abertura de 48.436 vagas de trabalho com carteira assinada em junho, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quinta-feira, 25, pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. O resultado é o melhor para o mês desde 2013, quando foram abertas 123.836 vagas.

O saldo positivo de junho foi resultado de 1.248.106 admissões e 1.199.670 desligamentos. No ano, foram criados 408.500 novos empregos (+1,06,%), elevando para 38.819 milhões o estoque de empregos formais no país. Já no acumulado de 12 meses, o saldo positivo chega a 524.931 novos postos de trabalho, equivalente a um crescimento de 1,37%.

O desempenho foi influenciado principalmente pelos setores de serviços, agropecuária e construção civil, que juntos criaram 58.858 vagas. Do outro lado, a indústria de transformação fechou 10.988 postos.

No recorte por regiões, o Sul foi o único a ter um saldo total de vagas negativo em junho, fechamento de 2.714 postos. O destaque positivo é o Sudeste, que abriu 661.281 vagas e fechou outras 630.227, apresentando um saldo de 31.054 postos abertos.

Publicidade

A modalidade de trabalho intermitente respondeu pela abertura de 10.117 empregos em junho, envolvendo 2.691 estabelecimentos. Ao todo, 417 empregados celebraram mais de um contrato nessa condição. Esse foi o maior saldo desde que a modalidade foi criada.

Já no regime de tempo parcial, o Caged apontou um saldo positivo de 1.427 empregos em junho, resultado de 5.922 admissões e 4.495 desligamentos, que envolveram 3.411 estabelecimentos. Os desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado somaram 17.951 ocorrências no mês, o menor desempenho desde dezembro de 2018.

Publicidade