Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

BOVESPA-Índice sobe após pacote de estímulo à economia

SÃO PAULO, 1o de dezembro (Reuters) – A Bovespa reagia com otimismo ao anúncio de medidas de estímulo econômico anunciadas pelo governo, o que a fazia descolar do fraco desempenho das praças internacionais.

Às 12h28, o Ibovespa subia 1,85 por cento, a 57.929 pontos. O giro financeiro do pregão era de 1,55 bilhão de reais.

Pela manhã, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou uma redução do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), de 2 por cento para zero, sobre os investimentos externos em ações. Sobre o crédito para pessoa física, a alíquota anual do IOF caiu de 3 para 2,5 por cento ao ano.

O governo também reduziu a alíquota de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) incidente sobre produtos de linha branca, e elevou de 75 mil para 85 mil reais o valor do imóvel popular para ingresso no regime especial de tributaçãono âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida.

Para o sócio-diretor da AZ Investimentos, Ricardo Zeno, essas medidas podem ajudar a bolsa, mas de forma limitada.

“A notícia é positiva, mas a tendência é que (o Ibovespa) se acomode. Depois da alta acentuada de quarta, pode ter realização em alguns ativos, mas nada forte”, afirmou.

A ação da própria BM&FBovespa tinha a maior alta do ibovespa, disparando 5,36 por cento, a 10,41 reais. influenciada pela redução do IOF para aplicações na bolsa.

Um pouco mais atrás, o setor bancário também era destaque positivo. Itaú Unibanco subia 2,1 por cento, a 32,55 reais, Bradesco ganhava 2,87 por cento, a 30,44 reais. Banco do Brasil crescia 2,89 por cento, a 24,90 reais, e Santander aumentava 3,52 por cento, a 14,40 reais.

No setor de construção civil, PDG subia 2,38 por cento. MRV tinha alta de 3,86 por cento, e Cyrela aumentava 2,59 por cento.

No setor de varejo, PÃo de Açúcar ganhava 2,65 por cento, enquanto Lojas Americanas subia 3,05 por cento, e B2W ganhava 4,04 por cento. Magazine Luiza , que não faz parte do Ibovespa, disparava 6,15 por cento.

Nas ações de maior peso, a preferencial da Vale subia 0,5 por cento, a 39,23 reais, e a da Petrobras tinha alta de 1,18 por cento, a 22,31 reais.

(Por Roberta Vilas Boas; Edição de Aluísio Alves)