Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bolsonaro quer que Senado vote texto da Previdência sem alterações

PEC pode seguir para o Senado após a aprovação de destaques na Câmara; parlamentares articulam um projeto paralelo para a inclusão de estados e municípios

Por da Redação - Atualizado em 7 ago 2019, 12h14 - Publicado em 7 ago 2019, 12h07

O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quarta-feira, 7, que o Senado vote o texto da reforma da Previdência que for aprovado pelos deputados federais, sem alterações, para evitar que a proposta volte à Câmara dos Deputados. Nesta quarta, os deputados votam oito destaques antes que o texto vá para a outra casa.

No Senado, os parlamentares articulam a elaboração de uma proposta paralela para incluir estados e municípios na reforma. Com isso, o texto-base não teria que passar pela Câmara novamente. 

O presidente, porém, mostrou não ser muito favorável à PEC paralela, como defende a equipe econômica do governo. “Eu tenho conversado aqui. A decisão, eu sou ouvido mais do que eles me ouvem. O que a gente pretende, eu pretendo, mas eu cedo. A equipe econômica pensa ao contrário. É que o que sai da Câmara vai tentar aprovar no Senado, em havendo lá concordância, porque, se não, volta para a Câmara”, respondeu Bolsonaro, ao deixar o Palácio da Alvorada após reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e com o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). 

Na terça-feira, Rodrigo Maia citou a possibilidade de, na mesma PEC paralela, discutir a reintrodução do sistema de capitalização, que foi retirado da proposta pelos deputados. 

Sobre a aprovação do texto-base em segundo turno na Câmara, Bolsonaro manifestou expectativa de a proposta ser encaminhada ao Senado nesta semana. “Se Deus quiser, a Previdência chega ao Senado nesta semana”, disse o presidente da República.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade