Clique e assine com até 92% de desconto

Bolsas europeias fecham sem direção comum

Por Da Redação 27 dez 2011, 15h13

Por Álvaro Campos

Frankfurt – As bolsas europeias fecharam sem direção comum hoje, com o índice pan-europeu Stoxx 600 com leve alta de 0,02%, a 241,91 pontos. Os volumes de negociação foram muito baixos, após o feriado de Natal ontem e com a aproximação do Ano Novo. Em Londres os mercados não funcionaram. Hoje o Banco Central Europeu (BCE) divulgou que o uso da sua linha de depósitos overnight pelos bancos da zona do euro atingiu o recorde histórico de 411,813 bilhões de euros ontem. Esse volume supera o recorde anterior, de 384,3 bilhões de euros, registrado em junho de 2010.

Um fator positivo foram comentários otimistas feitos pelo ministro de Economia da Alemanha, Philipp Roesler, que afirmou que a economia do país está “muito robusta” e “bem equipada” para o próximo ano, mesmo em meio às dificuldades com a crise da dívida na zona do euro e a desaceleração global. Os mercados também foram beneficiados pelo aumento na confiança do consumidor nos EUA. Segundo o Conference Board divulgou hoje, o índice de confiança subiu para 64,5 em dezembro, de 55,2 em novembro. O avanço superou a expectativas dos analistas, de 60,0.

“Em dias de volume baixo como esses entre o Natal e o Ano Novo, não dá para inferir muita coisa do comportamento dos mercados. Entretanto, qualquer alta é sempre bem-vinda”, comentou Stephen Pope, diretor-gerente da Spotlight Ideas. Em Frankfurt, o índice DAX avançou 0,18%, fechando a 5.889,76 pontos. Ações cíclicas tiveram bom desempenho, com ThyssenKrupp subindo 1,4% e BMW avançando 0,6%. Os papéis da seguradora Allianz, por sua vez, recuaram 0,7%.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 ficou praticamente inalterado, fechando com leve ganho de 0,03%, a 3.103,11 pontos. As ações da Accor subiram 3,9%. Os papéis da EDF caíram 0,2%, após a companhia afirmar que vai elevar sua fatia na empresa de energia italiana Edison para 80,7%, dos atuais 50%, por 700 milhões de euros. Os bancos fecharam no vermelho (BNP Paribas -1,1%, Crédit Agricole -2,1% e Société Générale -1,3%).

Já o índice FTSE Mib, da Bolsa de Milão, recuou 0,99%, fechando a 14.924,01 pontos. Os investidores estão ansiosos com o leilão de bônus que a Itália realiza amanhã e quinta-feira. Hoje o yield do bônus italiano de 10 anos voltou a superar 7% no mercado secundário, um mau sinal. Mais uma vez o setor bancário liderou as perdas, com UniCredit e Mediobanca recuando 4,8% cada. As informações são da Dow Jones.

Continua após a publicidade
Publicidade