Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

BOLSA ÁSIA-Receio sobre cúpula da UE leva índices ao vermelho

Por Da Redação 9 dez 2011, 07h09

Por Chikako Mogi

TÓQUIO, 9 de dezembro (Reuters) – As bolsas de valores asiáticas fecharam em baixa nesta sexta-feira, com dúvidas sobre se os líderes europeus poderão aprovar um plano convincente para combater a crise de dívida da zona do euro durante a cúpula de Bruxelas.

As perdas aumentaram e o dólar australiano — que é uma medida do apetite do investidor por risco — desabou depois que diplomatas da União Europeia disseram que um novo fundo de resgate permanente não terá licença de banco, significando que ele não será capaz de tomar empréstimos junto ao Banco Central Europeu (BCE).

Os líderes da UE disseram, porém, que a zona do euro planeja disponibilizar até 200 bilhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI), para aumentar seus recursos. Com a notícia, o euro e o dólar australiano reduziram os declínios.

O índice MSCI das ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão caía 2,62 por cento às 8h06 (horário de Brasília), para uma queda de cerca de 3,5 por cento na semana, pressionado pelo setor de recursos naturais. Em Tóquio, o índice Nikkei recuou 1,48 por cento.

“A reação imediata foi negativa, embora não houvesse nada que não soubéssemos 24 horas atrás”, disse Sue Trinh, estrategista do Royal Bank of Canada em Hong Kong. “O que nós podemos tirar disso é que os mercados estão muito nervosos.”

Em outro sinal do prejuízo da crise de dívida da Europa ao crescimento global, dados mostraram que a inflação anual na China caiu a 4,2 por cento mês passado, enquanto a alta dos preços ao produtor tombou a 2,7 por cento, após avanço de 5 por cento em outubro.

O índice de ações em Seul encerrou em baixa de 1,97 por cento. O mercado tombou 2,73 por cento em Hong Kong e a bolsa de Taiwan perdeu 1,28 por cento, enquanto o índice referencial de Xangai declinou 0,62 por cento. Cingapura retrocedeu 1,24 por cento e Sydneyfechou com desvalorização de 1,81 por cento.

Continua após a publicidade

Publicidade