Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

BCE não vê pressão deflacionária, diz Mersch

Taxas de juros do bloco vão continuar baixas por um período prolongado, possivelmente até o fim de 2016

O Banco Central Europeu (BCE) tem constatado um período de inflação extremamente baixa na zona do euro, mas não vê pressões deflacionárias, afirmou hoje Yves Mersch, membro do conselho executivo do BCE.

“Com base em nossas previsões, atualmente não vemos uma ameaça deflacionária mais pronunciada ou aguda, a ponto de as pessoas mudarem seus hábitos de consumo e adiarem compras por preverem que os preços vão recuar mais”, disse Mersch, em entrevista à rádio alemã Deutschlandfunk. “O que estamos vendo é um período mais longo de inflação muito baixa”, o que aumenta o risco de a economia europeia não ter mais proteções para a eventualidade de um novo choque externo, completou.

No último dia 5, o BCE decidiu reduzir suas principais taxas de juros, adotando uma inédita taxa negativa para depósitos bancários, e tornou disponíveis bilhões de euros em empréstimos baratos e direcionados para bancos da zona do euro.

Leia também:

Europa cresceu apenas 0,2% no 1º trimestre

Inflação na zona do euro desacelera para 0,5% em maio

Espanha vai anunciar plano de 6,3 bilhões de euros

Na entrevista, Mersch também reiterou que as taxas de juros do bloco vão continuar baixas por um período prolongado, possivelmente até o fim de 2016. Segundo Mersch, as taxas não subirão enquanto a taxa de inflação continuar tão abaixo da meta oficial do BCE, que é de um nível ligeiramente menor que 2,0%. Em maio, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro subiu 0,5% na comparação anual.

(Com agência Estado)