Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

BC age para regulação macroprudencial, diz diretor

Por Da Redação
13 set 2011, 15h50

Por Eduardo Rodrigues e Fernando Nakagawa

Brasília – O diretor de Fiscalização do Banco Central, Anthero Meirelles, avaliou hoje que a crise financeira global de 2008 teve como uma de suas causas os baixos juros cobrados nos pelos países centrais após o estouro da bolha da internet, em 2001. Segundo ele, o excesso de liquidez internacional no período foi direcionado para movimentos especulativos, que acabaram gerando produtos exóticos e “tóxicos”.

“Ficou claro que promover alto crescimento conjugado a baixas taxas de inflação não era algo sustentável nesses países”, acrescentou Meirelles, ao lembrar que esses mercados mantinham reduzidas taxas de juros. O diretor lembrou ainda que, como os países atualmente são bastante interligados financeiramente, outras economias nacionais também ficaram suscetíveis aos efeitos da crise.

Em audiência na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, Meirelles afirmou que o processo de regulação microprudencial, com foco na solidez de cada instituição financeira, foi insuficiente para se evitar a crise de 2008 “que ainda não acabou”. Por isso, acrescentou, a autoridade monetária tem voltado suas ações também para a regulação macroprudencial, com o objetivo de monitorar as relações do mercado como um todo e, assim, buscando reduzir o chamado “risco sistêmico”.

“Os sistemas financeiros evoluem com rapidez e se tornam mais complexos. Novos problemas exigem soluções nem sempre disponíveis nos manuais”, completou Meirelles.Em maio deste ano, o BC criou o Comitê de Estabilidade Financeira (Comef) para melhorar o processo de análise das informações para a identificação de potenciais ameaças ao sistema.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.