Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Barbosa: rebaixamento “não é notícia boa, mas pode ser revertido”

Após o corte da nota de crédito do Brasil, ministro do Planejamento afirma que o país está em "momento de travessia", mas que o governo segue buscando o reequilíbrio fiscal

Por Da Redação - 9 set 2015, 21h49

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, disse que o rebaixamento da nota de crédito do Brasil “não é notícia boa, mas pode ser revertido”. A agência de classificação de risco Standard & Poor’s anunciou nesta quarta-feira o corte da avaliação que faz sobre a capacidade de o país honrar seus compromissos.

“O governo brasileiro continua a honrar todos os seus compromissos e contratos, as pessoas podem ficar tranquilas. Essa é a avaliação de apenas uma agência – que é importante, e o governo trabalha para ter sempre a melhor avaliação possível de todos os agentes econômicos. Mas o mais importante é que estamos construindo as condições para o reequilíbrio fiscal”, afirmou. “Essa construção envolve várias frentes, de controle de gastos e de recuperação de receita.”

Barbosa disse que, no momento, o país está em uma “fase de transição, de travessia”, mas começou sua fala dizendo que gostaria de passar uma “mensagem de tranquilidade”. “É um momento de dificuldade econômica. Isso já aconteceu no passado. Vamos nos recuperar, e tenho certeza que essa avaliação será revertida à medida que as condições melhorarem.”

A decisão do governo de apresentar ao Congresso uma proposta orçamento para 2016 com previsão de déficit de 30,5 bilhões de reais foi um dos fatores para a S&P rebaixar a nota de crédito do Brasil. Sobre a decisão, a despeito do rebaixamento do rating brasileiro, Barbosa disse que “o orçamento transparente, realista, é sempre o correto.”

Publicidade

Leia mais:

Brasil é rebaixado e perde selo internacional de bom pagador

Rebaixamento da nota de risco do Brasil ocorreu antes do esperado e deve acentuar crise política

Governo “reafirma compromisso com a consolidação fiscal”, diz Levy

Publicidade

No Congresso, oposição trata rebaixamento do Brasil como “desastre anunciado”

Brasil já perdeu – na prática – seu grau de investimento

(Da redação)

Publicidade