Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Banco Central combaterá alta do dólar até março

Órgão valeu-se durante todo o ano de leilões para proteger o câmbio de oscilações bruscas e garantir a liquidez do mercado

O ano que vem promete ser desafiante para o mercado de câmbio, com perspectivas fuga de dólares dos países emergentes para economias mais maduras, especialmente para os Estados Unidos. Pensando nisso, o Banco Central (BC) decidiu estender até 31 de março seu programa de leilões de swap e venda de dólares, implementado em agosto de 2013 e vigente até agora. A intenção é ajudar a conter a alta da moeda americana, garantir proteção cambial e liquidez ao mercado, além de evitar que as moedas tenham variações muito bruscas.

No dia 30 o dólar encerrou o último pregão de 2014 em queda, cotado a 2,658 reais. Este ano, ultrapassou a barreira dos 2,70 reais algumas vezes. Analistas ouvidos pelo Banco Central para o último relatório Focus do ano projetam que o dólar feche 2015 cotado a 2,80 reais.

Leia também:

Bovespa encerra o ano no vermelho e dólar sobe 13%

Inflação acima da meta e dólar em alta são as apostas de economistas para 2015

O BC informou ainda que haverá leilões de swap de segunda a sexta-feira, com oferta de 100 milhões de dólares diários a partir de 2 de janeiro. Mas, vale destacar que houve redução no volume ofertado, que era de 200 milhões de dólares diários.

Os leilões de venda com compromisso de recompra serão feitos em razão das condições de liquidez do mercado de câmbio. A autoridade monetária informou, ainda, que “sempre que julgar necessário, o Banco Central poderá realizar operações adicionais de venda de dólares através dos instrumentos ao seu alcance”.

(Com Agência Brasil)