Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Avianca demite cerca de 80 funcionários no aeroporto de Guarulhos

Segundo sindicato, as dispensas estariam ocorrendo sem previsão de pagamento de rescisão trabalhista

Por Da redação 2 Maio 2019, 18h02

A Avianca Brasil, que está em processo de recuperação judicial, demitiu nesta quinta-feira, 2, cerca de 80 funcionários dos setores de check-in, despacho de voos e terminal de cargas do aeroporto de Guarulhos (SP), segundo o Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos. Esse número representa cerca de 30% da mão de obra da companhia no terminal. Desde segunda-feira, a empresa deixou de operar voos no aeroporto, devido aos cancelamentos ocasionados pelos arrestos de aeronaves.

De acordo com Rodrigo Maciel, presidente do sindicato, a Avianca estaria realizando as demissões sem dar prazo para o pagamento das verbas rescisórias. Maciel disse ainda que a empresa se “fechou” e não conversou com o sindicato sobre as demissões. Funcionários também reclamam que não estão recebendo regularmente salário nem benefícios como o Vale Transporte e Vale Refeição. Esses pagamentos estão sendo feitos com atrasos.

As demissões ainda não chegaram aos pilotos da empresa, segundo informou um comandante da companhia que pediu para não ser identificado. Alguns desses profissionais estão esperando o leilão de ativos marcado para a próxima terça-feira, 7, ou se realocando para outras companhias aéreas nacionais e internacionais.

Desde segunda-feira, 29, a empresa aérea opera somente em 4 aeroportos do país (Salvador, Congonhas, Santos Dumont e Brasília). O cancelamento dos voos ocorreu por causa de arresto de aeronaves. Desde o dia 12, quando ocorreu o primeiro anúncio de suspensão de decolagens, a companhia já cancelou mais de 3.800 voos. Empresas de leasing entraram na Justiça pedindo a retomada dos bens por causa de atraso de pagamento por parte da aérea brasileira.

Questionada pela reportagem, a Avianca não se posicionou sobre as demissões.

O que fazer se tem passagem pela Avianca 

A crise financeira da Avianca piora a cada dia. A recomendação do Departamento de Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça e do Procon-SP é que os passageiros que têm voos marcados procurem a companhia e o aeroporto de decolagem e pouso para verificar a situação da viagem e registrar reclamação tanto na própria companhia como nos órgãos de defesa do consumidor.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) afirma que, em caso de atraso, cancelamento de voo e negativa de embarque (preterição), a pessoa que comparecer para embarcar tem direito a assistência material, que envolve comunicação, alimentação e hospedagem. “Essas medidas têm como objetivo minimizar o desconforto dos passageiros enquanto aguardam o voo, atendendo às suas necessidades imediatas”, segundo a agência.

As informações da Avianca estão disponibilizadas pelo site da companhia ou pelo telefone 0800-286-6543. A empresa também tem um canal de SAC pelo Twitter. A companhia informa que o consumidor que teve seu voo cancelado deve entrar com o pedido de reembolso no site ou falar com a agência de viagens que lhe vendeu a passagem.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês