Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Avianca pode perder mais 11 aviões e cancela 51 voos da volta da Páscoa

Justiça de São Paulo determina novas devoluções de aeronaves; leilão de ativos é marcado para o dia 7 de maio

A Avianca Brasil cancelou nesta terça-feira, 16, mais 51 voos que deveriam decolar no domingo de Páscoa. Além disso, a empresa, em recuperação judicial, deve perder mais 11 aeronaves de sua frota. A aérea está com problemas com as arrendadoras que fazem o aluguel de aeronaves, por causa de dificuldade em honrar os pagamentos. 

Pela redução da malha, a aérea cancelou 381 voos entre sábado, 13, e domingo, 21, e pode continuar fazendo cancelamentos nos próximos dias, caso fique sem os seus aviões. Só durante o feriado, são 201 voos cancelados até agora.

Está disponível, no site da Avianca, um link para conferir os voos que não acontecerão. A Avianca informa que o consumidor que teve seu voos cancelado deve entrar com o pedido de reembolso no site, ou falar com a agência de viagens que o vendeu a passagem.

De acordo com decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, a Avianca tem um período de 10 dias para devolver oito aviões para a Celestial Aviation Trading. Outra decisão do mesmo tribunal obriga a empresa a entregar para a PK Airfinance mais três aeronaves, que, de acordo com a decisão judicial, devem ser devolvidos imediatamente à arrendadora.

Os mandatos de reintegração de posse foram expedidos na segunda-feira, 15. Procurada, a Avianca não quis comentar sobre esses processos.

Até o final da semana passada, a aérea tinha uma frota de 35 aeronaves. Entre sexta-feira, 12, e domingo, 14, a empresa perdeu nove aeronaves na Justiça para as arrendadoras por falta de pagamento. Assim, a companhia está com 26 aeronaves por enquanto, só que duas estavam em manutenção nesta terça-feira. Com a execução das novas decisões da Justiça, a frota poderá ser reduzida para 15 aeronaves no total.

Leilão de ativos

Foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo o edital do leilão de ativos da Avianca. A alienação está marcada para o dia 7 de maio, a partir das 14h, na região central de São Paulo. Serão leiloadas sete Unidades Produtivas Isoladas (UPIs), que são partes da empresa livres de dívidas. Pelas regras do edital, interessados em comprar ativos da Avianca têm 10 dias para encaminhar propostas. O certame faz parte do processo de recuperação judicial, iniciado em dezembro.  

Em 11 de dezembro do ano passado, a Avianca Brasil entrou com pedido de recuperação judicial. O objetivo era evitar a paralisação de suas atividades, já que a companhia aérea enfrenta dificuldades para manter aviões arrendados por falta de pagamento aos fornecedores e também vem atrasando o recebimento de taxas aeroportuárias.

A Avianca é a quarta maior companhia aérea do país e suas dívidas somam quase 500 milhões de reais. A companhia chegou a devolver, em dezembro do ano passado, duas aeronaves Airbus A330 para as empresas de arrendamento.

Os credores aprovaram o plano de recuperação judicial da empresa aérea, que prevê a divisão dos ativos da companhia em sete Unidades Produtivas Independentes (UPI). Elas conterão, principalmente, as autorizações de pouso e decolagem (slots) da Avianca e irão a leilão. Gol e Latam já se comprometeram, cada uma, a ficar com pelo menos uma delas por 70 milhões de dólares (aproximadamente 270,3 milhões de reais).  A Azul havia assinado um pré-acordo para a compra de ativos no valor de 105 milhões de dólares (aproximadamente 405 milhões de reais).