Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Aversão a risco cresce, Bolsa despenca e dólar sobe com tensão na Turquia

Com a queda de quase 3% hoje, a bolsa brasileira praticamente zerou os ganhos do ano

Por Redação Atualizado em 10 ago 2018, 19h09 - Publicado em 10 ago 2018, 18h03

A bolsa de valores fechou a sexta-feira com forte queda, pressionada pela aversão global a riscos após o agravamento da tensão econômica na Turquia. O Ibovespa, principal índice de ações da bolsa, encerrou o dia com uma queda de 2,86%, a 76.514,35 pontos.

Para se proteger, o investidor tirou seu dinheiro da bolsa e buscou proteção no dólar. Por isso, a moeda americana subiu 1,59%, a 3,8640 reais – na máxima do dia, chegou a bater 3,8728 reais. O economista-chefe do Banco Safra, Carlos Cawall, diz que o real não foi a única moeda a se desvalorizar. “Foi um movimento global de corrida ao dólar. A lira turca perdeu 13,4%, acumulando uma desvalorização de 40% no ano. Com isso, a lira turca ultrapassou o peso argentino, que era a moeda que mais vinha se desvalorizando frente ao dólar, que perdeu 36% no ano.” No ano, segundo ele, o real acumula uma queda de 14% frente à moeda americana.

Com a queda de hoje, a bolsa brasileira praticamente zerou os ganhos do ano. “A bolsa tinha tido uma boa recuperação, mas o ganho está em torno de zero agora”, afirma Cawall.

Para o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo, o cenário eleitoral também tem peso sobre o desempenho do mercado financeiro desta sexta-feira. “O debate de ontem foi muito morno, nenhum candidato mostrou a cara e a que veio.”

Continua após a publicidade

Segundo ele, a expectativa em relação à divulgação de novas pesquisas eleitorais também leva o investidor a se proteger. “O momento é de incerteza, então o investidor prefere opções menos arriscadas para evitar surpresas desagradáveis.”

Turquia

O presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, prometeu nesta sexta-feira defender o país de ataques econômicos e disse que aumentar a produção, as exportações e o emprego é a melhor resposta aos desafios vividos pelo país.

Ele disse que a Turquia está enfrentando uma volatilidade financeira artificial, mas que os que se animam com as taxas de juros e os preços da moeda estrangeira não vencerão.

Erdogan pediu aos turcos que troquem ouro e divisas pela lira para defender a moeda no que chamou de “batalha nacional”, enquanto o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou que a relação de seu país com os turcos “não está boa neste momento” e que autorizou tarifas mais altas sobre as importações da Turquia.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)