Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Apple agora ataca o mercado de crédito com empréstimo direto do iPhone

A gigante tech se aprofunda no setor de serviços financeiros; ainda não há previsão de lançamento do serviço no mercado brasileiro

Por Renan Monteiro Atualizado em 9 jun 2022, 19h45 - Publicado em 9 jun 2022, 12h18

Mais uma novidade da Apple anunciada nesta semana. Desta vez, prometendo agitar o mercado financeiro. A atualização na carteira digital presente nos iPhones, a Apple Wallet, permitirá empréstimos e compras no crédito diretamente pelos celulares, sem a necessidade de vincular um cartão de empresas bancárias. O serviço Apple Pay Later, com a proposta de “compre agora, pague depois”, promete disputar em praticidade e instantaneidade com fintechs e bancos tradicionais digitalizados. A boa nova para os consumidores foi divulgada na Conferência Mundial de Desenvolvedores (WWDC, na sigla original), em andamento até sexta-feira, 10. Não há previsão de lançamento do serviço no Brasil.

Em agosto de 2019, a Apple já havia lançado o seu próprio cartão de crédito, o Apple Card. Também não é novidade que a carteira digital dos iPhones permite o pagamento por aproximação, com o celular, sendo necessário vincular o aparelho a um número de cartão crédito e/ou débito. O cerne do anúncio desta semana é a própria carteira digital funcionar como um serviço completo de compras e empréstimos. Na conferência, Corey Fugman, diretor sênior da Apple Wallet e Apple Pay, disse que o novo serviço vai permitir “a divisão do custo de uma compra em quatro pagamentos iguais distribuídos por seis semanas sem juros e sem taxas de qualquer tipo”. Trata-se de um conceito que é uma grande novidade em diversos países desenvolvidos, mas que lembra muito a famosa compra em cartão de crédito parcelada, que é comum no sistema brasileiro.

A possibilidade de gerenciar apenas a carteira digital em todo o processo de uma compra, potencialmente, permitirá uma experiência sem muitos atritos ou passos. Se de fato atender as expectativas, o Apple Pay Later será uma forte concorrência na oferta de serviços financeiros mundiais. A divisão Apple Financing será responsável por supervisionar as verificações de crédito e empréstimos para o serviço. Segundo a agência de Bloomberg, o negócio já possui licenças de empréstimo necessárias para o funcionamento. Os recursos do Apple Pay Later, por enquanto, estarão disponíveis para usuários dos EUA.

Em nota, a Apple Brasil disse que não há previsão de lançamento do serviço por aqui. Após o processo de licenciamento, a expectativa é que o serviço esteja disponível para todos os iPhones operando no novo sistema operacional, o iOS 16. Ou seja, para os novos celulares e aqueles que ainda suportam a nova atualização operacional. Durante a semana, a Apple também anunciou, dentre outros pontos, uma significativa reconfiguração nas telas de bloqueio dos celulares e no sistema de mensagens, incluindo a possibilidade de excluir mensagens já enviadas.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)