Clique e assine a partir de 9,90/mês

Após nova pesquisa, dólar sobe mais e chega a R$ 4,07

No pregão de ontem, a moeda fechou em 4,0372 reais, cotação que não era alcançada desde 18 de fevereiro de 2016

Por Redação - Atualizado em 22 ago 2018, 14h51 - Publicado em 22 ago 2018, 10h19

O dólar mantém sua trajetória de alta no pregão de hoje. A moeda americana era negociada, às 9h40, a 4,0741 reais, evolução de 0,91%. Ontem, depois de dois anos e meio, a cotação alcançou 4 reais e fechou em 4,0372 reais, uma alta de 2,01% em relação ao dia anterior. Essa cotação não era alcançada desde 18 de fevereiro de 2016 (4,0493 reais), período de maior turbulência do governo Dilma, com o início do processo de impeachment.

Para o diretor de operações da corretora Mirae Asset, Pablo Spyer, a cotação do dólar deve permanecer acima dos 4 reais no pregão de hoje. “Toda hora que uma pesquisa eleitoral for divulgada, haverá esses solavancos. Acredito que essa volatilidade permanecerá até a definição dos candidatos que irão para o segundo turno. Se o candidato preferido do mercado não for para a disputa, provavelmente, essa instabilidade deve permanecer por um pouco mais”, disse Spyer.

Hoje, em mais uma pesquisa Datafolha, divulgada na madrugada desta quarta-feira pelo jornal Folha de S.Paulo, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) lidera com 22% das intenções de voto, no cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), inelegível pelo atual entendimento da Lei da Ficha Limpa, por ter sido condenado em segunda instância na Operação Lava Jato. Em segundo lugar, aparece a ex-senadora Marina Silva (Rede), que tem 16%. Empatados tecnicamente em terceiro aparecem Ciro Gomes (PDT), com 10%, e Geraldo Alckmin (PSDB), com 9%. Provável substituto de Lula na disputa, Fernando Haddad (PT) tem 4%, assim como Alvaro Dias (Podemos). Henrique Meirelles (MDB) e João Amoêdo (Novo) aparecem com 2% cada.

Publicidade