Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Ameaça de sanções da Alemanha à Rússia derruba o rublo

Gasoduto Nord Stream 2, da Rússia para a Europa, pode ser cancelado após Merkel pedir esclarecimentos sobre o caso de envenenamento de opositor de Putin

Por Luisa Purchio Atualizado em 7 set 2020, 17h08 - Publicado em 7 set 2020, 16h58

A falta de um esclarecimento do caso de envenenamento de Alexei Navalny, opositor ao governo de Vladimir Putin, ajudou a derrubar a moeda da Rússia nessa segunda-feira, 7. O rublo russo chegou a cair 1% em relação ao dólar e opera em baixa de 0,53%, a 0,0132 dólar. No domingo, 6, a Alemanha aumentou a pressão para que haja respostas sobre o caso, ameaçando sanções, com apoio de países do Ocidente. Entre elas, está a suspensão do construção do gasoduto Nord Stream 2, que pretende importar gás natural da Rússia para a Europa, o que marca uma mudança de posicionamento da chanceler alemã, Angela Merkel. No final de agosto, a chefe de estado afirmara que os dois assuntos deveriam ser tratados separadamente.

As ações da Gazprom, estatal russa que é a maior exportadora de gás natural do mundo, opera em baixa, de 1,37%, a 177,09 rublos russos, no menor valor dos últimos cinco meses. De acordo com a Interfax, Alexander Novak, ministro da Energia da Rússia, afirmou que o projeto será concluído mesmo diante dos impasses, uma vez que o transporte do gás é necessário para o bloco europeu. Esse seria o segundo gasoduto cruzando o Mar Báltico, o que dobraria a exportação da commodity à Alemanha.

Depois de 18 dias em coma artificial, o líder da oposição acordou nesta segunda-feira e está reagindo a estímulos verbais em um hospital em Berlim, cujos exames apontaram envenenamento por meio de novichok, um agente químico desenvolvido pela União Soviética na época da Guerra Fria. Navalny teria sido contaminado após tomar um chá na Sibéria, onde participava de uma campanha eleitoral local. “Definir ultimatos não ajuda ninguém, mas se o lado russo não ajudar a esclarecer o que aconteceu, teremos de discutir uma resposta com nossos parceiros”, disse Heiko Maas, ministro de Relações Internacionais da Alemanha.

ASSINE VEJA

Os riscos do auxílio emergencial Na edição da semana: a importância das reformas para a saúde da economia. E mais: os segredos da advogada que conviveu com Queiroz
Clique e Assine

A Rússia, por sua vez, nega as acusações e pede que a Alemanha apresente provas sobre as acusações. “Berlim está atrasando o processo de investigação”, postou no Facebook Maria Zakharova, porta-voz do governo da Rússia. “Até agora não temos certeza de que a Alemanha não esteja jogando um jogo duplo”, escreveu no comentário. Dmitri Peskov, porta-voz do presidente russo, afirmou hoje que o Kremlin solicitou informações à Alemanha sobre o quadro de saúde de Navalny. “Não há motivo que os impeça de fornecer esta informação. Por isso esperamos que, tendo em conta a repercussão do caso, a informação seja entregue nos próximos dias. Aguardamos com ansiedade”, disse ele.

Continua após a publicidade

Publicidade