Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A ‘solução final’ para a Petrobras, segundo o novo presidente da estatal

Embora reconheça que existam alternativas para estabilização dos preços sem necessidade de intervenção, Adriano Pires defendeu medida amarga para companhia

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 30 mar 2022, 09h15 - Publicado em 28 mar 2022, 20h49

Confirmado nesta segunda pelo Ministério de Minas e Energia, o novo presidente da Petrobras, Adriano Pires, se manifestou recentemente sobre qual seria a forma de resolver, de forma definitiva, os problemas da estatal.

Embora tenha reconhecido que, atualmente, existam alternativas para a estabilização dos preços sem necessidade de intervenção na companhia, Pires defendeu que a “solução final” é a privatização. O texto foi publicado em outubro no site “Poder360”, alguns meses antes de outro artigo no qual o economista criticava “propostas populistas” na empresa.

Ao defender a concessão da Petrobras para a iniciativa privada, Pires rechaça o argumento de que o Brasil, por ser autossuficiente na produção de petróleo, deveria ajustar o preço dos derivados levando em consideração os custos e não a paridade internacional. Segundo ele, o petróleo é uma commodity, com preços determinados pelo mercado internacional — e países que não seguem a regra acabam como a Venezuela, “que destruiu sua indústria de petróleo, bem como sua empresa PDVZA”.

“A solução definitiva só virá com a privatização da Petrobras. Enquanto a empresa for de economia mista, tendo o Estado como controlador, os seus benefícios corporativos e as práticas monopolistas serão mantidos a favor da corporação e, muitas das vezes, contra os interesses do Brasil”, diz no artigo o novo presidente da estatal.

A decisão de retirar o general Joaquim Silva e Luna, no comando da Petrobras há menos de um ano, foi motivada pelos sucessivos aumentos no valor dos combustíveis, o que provocou críticas públicas do presidente Jair Bolsonaro.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)