Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A derrota do governo no Conselho de Administração da Petrobras

Com a eleição do advogado Leonardo Antonelli, pela primeira vez na história da companhia os minoritários desbancaram um indicado do controlador

Por Robson Bonin Atualizado em 23 jul 2020, 18h40 - Publicado em 23 jul 2020, 18h03

A vida não anda fácil para o governo nem mesmo dentro das próprias estatais. Veja a tumultuada eleição do Conselho de Administração da Petrobras que avançou a madrugada desta quinta, terminando 2 da manhã.

Pela primeira vez na história da companhia, os minoritários desbancaram um indicado do controlador, tirando uma cadeira do governo no colegiado de 11 lugares. Apoiado pelos fundos internacionais, o advogado tributarista Leonardo Antonelli, como mostrou o Radar nesta quarta, levou mais votos que a soma de todos os apoios dos demais nomes do governo juntos.

Obra do voto múltiplo, em que os minoritários podem utilizar todos os seus votos num único candidato, novidade na companhia, após seguidos casos de corrupção envolvendo o domínio político no conselho.

A Petrobras elegeu em Assembleia-Geral Ordinária o almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira presidente do conselho. Também foram eleitos outros dez integrantes. Entre os eleitos pelo sistema de voto múltiplo, além de Leal Ferreira, estão o presidente da companhia, Roberto Castello Branco, João Cox, Nivio Ziviani, Omar Carneiro da Cunha Sobrinho, Paulo Cesar de Souza e Silva, Ruy Flaks Schneider e Antonelli.

Continua após a publicidade
Publicidade