Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Econômico Por Machado da Costa Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças.

No jogo de Guedes, sai Renda Brasil, volta nova CPMF

Presidente Jair Bolsonaro chamou o ministro às pressas para acabar com ideia de congelar aposentadorias e avisar que manterá o Bolsa Família

Por Machado da Costa Atualizado em 15 set 2020, 11h43 - Publicado em 15 set 2020, 11h12

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, estranharam-se na manhã desta terça-feira, 15. O presidente foi surpreendido com manchetes afirmando que aposentadorias seriam congeladas para dar espaço para o Renda Brasil. Era a segunda vez que o presidente rechaçou a proposta e agora interditou o debate de vez. Não haverá mais Renda Brasil. Contudo, no plano de Guedes focado em emprego e renda, saiu o programa de auxílio e voltou a proposta para desonerar a folha de pagamentos. A substituição foi decidida em reunião no Palácio do Planalto, chamada às pressas.

A ideia é trabalhar rápido para implementar algum programa que consiga desonerar a folha de pagamentos e aumentar a empregabilidade da economia. Guedes garante que o melhor caminho é aprovar o imposto sobre transações financeiras, chamado de nova CPMF devido à sua forma de cobrança. Bolsonaro também não gosta dessa ideia, mas na visão do presidente, tem um impacto menor sobre a população de baixa renda do que o congelamento das aposentadorias, a revisão do BPC ou o fim do abono salarial.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

  • Publicidade